Unifesp está em greve: Docentes em defesa da Universidade Pública!

Docentes da Unifesp estão em greve a partir desta segunda-feira, dia 29 de abril. Esta foi a decisão de nossa categoria, por ampla maioria, na Assembleia Geral da Adunifesp realizada em 24 de abril, com a participação presencial de mais de 210 docentes de todos os campi da Universidade. Aderimos à greve nacional dos docentes, que já paralisa cerca de 40 universidades federais brasileiras, com o intuito de aumentar a pressão nas negociações, as quais devem atingir seus momentos decisivos nas próximas semanas.

* Imagem destaque: ato público em defesa da Unifesp na deflagração da greve docente, 29/04/2024, Campus São Paulo.

Continuar lendo “Unifesp está em greve: Docentes em defesa da Universidade Pública!”

Carta de docentes da Unifesp em favor do cessar fogo imediato em Gaza, pela abertura de corredores humanitários, soltura dos reféns e retomada das negociações de paz entre palestinos e israelenses

São Paulo, 26 de outubro de 2023.

Nós, docentes da Universidade Federal de São Paulo, clamamos para que cesse o massacre de civis em Gaza, a maioria, crianças e adolescentes, e que os suprimentos de energia, água e alimentos sejam retomados para evitar uma tragédia ainda maior. Clamamos pela soltura dos reféns.  Esse é o conteúdo principal da resolução discutida e votada, no dia 18 de outubro, no Conselho de Segurança da ONU, por iniciativa brasileira. Ela teve apoio de Albânia, China, Emirados Árabes, Equador, França, Gabão, Gana, Japão, Malta, Moçambique e Suíça. Reino Unido e Rússia se abstiveram e os Estados Unidos foi o único voto contrário. O mundo não aceita esse massacre. Conclamamos todos a lutarem pela paz, agora.

Continuar lendo “Carta de docentes da Unifesp em favor do cessar fogo imediato em Gaza, pela abertura de corredores humanitários, soltura dos reféns e retomada das negociações de paz entre palestinos e israelenses”

NOTA DA AG DOCENTE SOBRE QUEIXA-CRIME DA SPDM CONTRA CONSELHEIROS DA UNIFESP

A Assembleia Geral Docente, reunida no dia 13 de junho de 2023, tomou conhecimento do processo criminal apresentado pela Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) contra quatro membros do Conselho Universitário da Unifesp, por calúnia e difamação, devido a falas em sessões do CONSU no ano de 2022.

Continuar lendo “NOTA DA AG DOCENTE SOBRE QUEIXA-CRIME DA SPDM CONTRA CONSELHEIROS DA UNIFESP”

AG Aprova Carta Compromisso para derrotar Bolsonaro

A Assembleia Geral da Associação de Docentes da Unifesp, ADUNIFESP, Seção Sindical do ANDES-SN, reunida no dia 8 de setembro de 2022, debateu a conjuntura política do país e aprovou por unanimidade três resoluções: 1. Carta-Compromisso Lula para derrotar Bolsonaro e Defender a Universidade (ver abaixo); 2. Divulgar e coletar assinaturas à carta; 3. A partir daí, organizar Comitês de Luta junto à comunidade. 

Continuar lendo “AG Aprova Carta Compromisso para derrotar Bolsonaro”

Carta à comunidade docente sobre as eleições para os Conselhos Superiores da Unifesp

A partir de debates em reuniões plenárias e Assembleia Geral sobre o futuro da nossa universidade, colocado em pauta nesse momento por ocasião das eleições de representantes nos conselhos superiores, a Associação dos Docentes da Unifesp pede à nossa comunidade intensa participação e promoção do salutar debate político no sentido de avançar, a partir desse sufrágio, na construção de uma universidade pública, democrática, inclusiva e multicampi.

Continuar lendo “Carta à comunidade docente sobre as eleições para os Conselhos Superiores da Unifesp”

O Brasil não pode seguir mergulhando no luto coletivo, sem punir o responsável

A Associação dos Docentes da Universidade Federal de São Paulo (Adunifesp-SSind), membro da comunidade brasileira, conclama a deputados federais e senadores, para que: 1) Não tratem de pautas diferentes além de combater a pandemia e não usem a tragédia sanitária para contrabandear a agenda de reformas do governo. 2) Avaliem os mais de 60 pedidos de impeachment, arquivados pela Câmara dos deputados, e tomem uma atitude republicana de impedir que o Presidente, em exercício, da República Federativa do Brasil continue produzindo fatos devastadores e antidemocráticos de difícil resolução.

Continuar lendo “O Brasil não pode seguir mergulhando no luto coletivo, sem punir o responsável”