Arquivo diários:8 de fevereiro de 2018

Nota de repúdio à extinção de 60 mil cargos públicos

A Associação dos Docentes da Universidade Federal de São Paulo ( Adunifesp-SSind) vem a público manifestar seu repúdio à extinção de mais de 60 mil cargos do serviço público pelo Decreto nº 9262/18, promulgado pelo governo em janeiro de 2018. O decreto extingue 60.923 cargos públicos, aquelas vagas não ocupadas serão extintas imediatamente e as que vierem a vagar não serão repostas, e ainda veda a abertura de novos concursos públicos para outros 58 cargos entre eles os de técnicos-administrativos em educação (TAE) das Instituições Federais de Ensino (IFE). Medida que afeta o serviço público de maneira geral com significativa diminuição de pessoal responsável pela oferta dos serviços públicos e especificamente a educação pública uma vez que, imediatamente, foram extintos cerca de 4 mil cargos de TAE das IFE e 70 cargos de professores do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT). É mais uma ataque frontal aos serviços públicos, que acaba por afetar toda a população dependente de sua oferta.

Adunifesp-SSind

Nota de repúdio às alterações nos planos de saúde dos servidores públicos federais

A Associação dos Docentes da Universidade Federal de São Paulo (Adunifesp-SSind) vem a público manifestar seu repúdio às alterações realizadas pelo governo nas regras do sistema de saúde dos servidores públicos federais. A nova portaria editada no dia 18 de janeiro de 2018 estabelece novas diretrizes e parâmetros para o custeio das empresas estatais federais sobre benefícios de assistência à saúde aos empregados, todas elas retirando os direitos conquistados pelos trabalhadores: 1) novos servidores públicos concursados não terão mais direito ao plano de saúde; 2) os servidores na ativa terão que se adaptar às novas regras dentro do período de quatro anos; 3) entre os dependentes só poderão permanecer os filhos e companheiros conjugais, os pais terão que ser definitivamente excluídos; 4) o governo passará a arcar com 50% dos custos (atualmente o governo arca com cerca de 75% dos custos); 5) serão proibidos acordos coletivos de trabalho em relação aos planos de saúde. É mais um ataque aos servidores públicos que deve ser repudiado e combatido!

Adunifesp-SSind