Arquivo diários:9 de abril de 2019

Nota de solidariedade às (os) trabalhadoras (es) do RU do campus Baixada Santista da Unifesp

A Associação dos Docentes da Unifesp (ADUNIFESP-SSind), vem a público manifestar sua solidariedade às/aos trabalhadoras/es contratadas/os pela empresa Prato Certo, que presta serviços ao Restaurante Universitário do Campus Baixada Santista da Universidade Federal de São Paulo. Desde ontem, 08 de abril de 2019, as/os trabalhadoras/es paralisaram suas atividades. Além de melhores condições de trabalho (são apenas seis para atender diariamente a mais de 700 estudantes; mercadoria que chega atrasada e congelada, fazendo com que se utilize água quente às pressas, o que tem provocado acidentes), reivindicam o pagamento imediato dos salários atrasados há três meses.


Esta legítima paralisação tem impacto direto na vida acadêmica, sobretudo das/os estudantes que foram privadas/os de fazerem suas refeições, muitos das/os quais se alimentam exclusivamente no R.U. Portando, nossa solidariedade se estende a elas/es.


Enfim, é impossível não relacionar esta luta com a defesa intransigente da universidade pública brasileira. A luta também é nossa!

Aunifesp-SSind

Adunifesp-SSind segue defendendo a autonomia universitária junto ao novo Ministro da Educação

No dia 08 de abril de 2019, logo após Abraham Weintraub, economista e professor da Unifesp, ocupar o cargo de Ministro da Educação, o Jornal Estadão procurou a Adunifesp-SSind para buscar informações e expectativas sobre a nova gestão e o Prof. Daniel Feldmann, presidente da entidade deu a seguinte declaração:

“Espero que o novo ministro, como professor de uma Universidade Federal, saiba que a lógica do Escola Sem Partido e de outras formas de perseguição e restrição à autonomia e liberdade aos professores é absolutamente falaciosa e só pode levar à destruição da Universidade como lugar de produção de conhecimento. Se, infelizmente, ele mantiver essa lógica defendida pelo Bolsonaro e pelo ex-ministro, isso será trágico, uma caças às bruxas que não permitiremos de forma alguma que entre dentro da Universidade Pública. Nem uma aula minha, Daniel, e nem uma aula do atual ministro Bragança jamais estarão isentas de pressupostos teóricos, reflexivos e intelectuais que nunca podem ser ‘neutros’. Por esta lógica inquisitória, se algum professor for punido por ter algum ‘viés’ no seu pensamento, esse mesmo tipo de punição caberia então ao novo ministro que também tem seu ‘viés’ que é tudo menos ‘neutro’ ou algo meramente ‘técnico’”.

Acesse aqui a matéria completa: https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,ele-tem-ideias-muito-boas-mas-nao-sigo-ipsis-litteris-diz-novo-ministro-sobre-olavo,70002783847?utm_source=estadao:whatsapp&utm_medium=link

A Adunifesp-Ssind segue em defesa da categoria e da universidade pública.

Adunifep-SSind