Arquivo mensais:julho 2015

Comunicado do Conselho de Entidades (reunido no dia 30 de julho de 2015)

O Conselho de Entidades da Universidade Federal de São Paulo vem por meio do presente comunicado declarar o apoio à decisão dos Técnicos Administrativos em Educação (TAEs) em suspender o processo de rematrícula do segundo semestre letivo de 2015 dos cursos semestrais de graduação da Unifesp. E também o repúdio a decisão do CONSU em continuar o processo de maneira paralela.

Com a continuidade da greve dos TAEs pela melhoria das condições de trabalho, vários serviços estão temporariamente paralisados, entre eles o da rematrícula dos estudantes de graduação dos cursos semestrais. Decisão decorrente diretamente da mobilização política que resultou na greve e que neste específico ponto coloca em evidência à comunidade universitária a precariedade das condições de trabalho dos técnicos em seu cotidiano, completamente agravado no período de rematrícula, em que o processo é em grande parte feito manualmente pelos técnicos, quando chegam a realizar 30.000 matrículas em um curto espaço de tempo, com sérios problemas estruturais.

O Conselho de Entidades reitera o respeito à decisão da categoria e repudia a decisão do CONSU, reunidos no dia 30 de agosto de 2015, em manter o serviço de rematrícula de forma paralela e improvisada, convocando a pró-reitoria de graduação, as diretorias dos campi e suas respectivas secretarias de graduação. Decisão em completo desrespeito a categoria mobilizada, às suas decisões políticas e a sua luta por uma Universidade com melhores condições de ensino e trabalho. A luta deve ser conjunta por uma Universidade de qualidade e para isso as categorias devem ser mutuamente solidárias.

Neste sentido, o Conselho de Entidades convida as demais categorias da comunidade universitária a dialogar com a pauta de reivindicações dos TAEs que apresenta vários pontos que condicionam diretamente o cotidiano de todos presentes na Universidade.

Considerando sua pauta de reivindicações locais, os TAEs organizarão um ato pelas 30 horas em frente ao Hospital São Paulo nesta próxima terça-feira dia 04 de agosto de 2015 a partir das 11h. Uma ótima oportunidade para retomar o maior diálogo entre as categorias, que devem lutar unidas contra a precarização da Universidade Pública. Todos são bem vindos para prestar sua solidariedade e apoio.

A partir da avaliação da necessidade de maior diálogo entre as categorias – discentes, docentes e técnicos-administrativos – o Conselho de Entidades convoca todos para Assembleia Comunitária no dia 11 de agosto (local e horário a confirmar) com aguinte pauta: conjuntura nacional e local; mobilização das categorias; atos e atividades públicas conjuntas e paridade.

Conselho de Entidades

Nota da Adunifesp-SSind sobre o adiamento do segundo semestre letivo de 2015

A Diretoria da Associação dos Docentes da Universidade Federal de São Paulo – Seção Sindical (Adunifesp-SSind) vem por meio do presente comunicado reforçar o apoio ao movimento grevista dos Técnicos Administrativos em Educação (TAEs) em nível nacional e da Unifesp. Em específico, declarar apoio à decisão da categoria sobre o processo de rematrícula que culmina no adiamento do segundo semestre letivo de 2015 dos cursos de graduação da Unifesp.

Com a continuidade da greve da categoria pela melhoria das condições de trabalho e em conformidade com o comunicado do comando local de greve (CLG) dos TAEs, publicado em 24 de julho, considerando sua pauta interna de reivindicações, vários serviços estão temporariamente paralisados, entre eles o da rematrícula dos estudantes de graduação dos cursos semestrais.

“Conscientes dos impactos gerados pela não realização deste serviço e receando que a gestão decida fazê-lo de forma improvisada” o CLG formulou alguns esclarecimentos sobre a decisão, ressaltando que deixar de fazê-la é decorrência direta da mobilização política que resultou na greve, além de colocar em evidência à comunidade universitária a precariedade das condições de trabalho dos técnicos em seu cotidiano, agravada no período de rematrícula, em que o processo é em grande parte feito manualmente pelos técnicos, quando chegam a “realizar 30.000 matrículas em um curto espaço de tempo, com sérios problemas estruturais, como por exemplo a internet lenta.”

A Diretoria da Adunifesp-SSind reitera o respeito à decisão da categoria, principalmente por se tratar de um ponto que revela a gravidade das condições de trabalho a que os técnicos são submetidos em seu cotidiano.

As diretorias acadêmicas e os docentes que tomarem a iniciativa de participar do processo de rematrícula  estarão desrespeitando a decisão de uma categoria em greve. Também estarão realizando atividades incompatíveis com as atividades docentes.

Expediente como o envio de formulários de “consulta” à categoria docente sobre sua participação ou não neste processo, como foi a iniciativa de um conselheiro do CONSU do câmpus de Diadema, é mais um desrespeito à luta política dos TAEs, aos quais devemos ser solidários, uma vez que enfrentamos as mesmas condições precárias de trabalho, na mesma universidade. Diante de tal situação, fica a pergunta: Se os professores decidissem entrar em greve, o que significaria uma consulta realizada entre os TAEs para saber a sua opinião ou mesmo participação em atividades docentes? A autonomia universitária também se traduz nas decisões tomadas pelas três categorias, que devem ser respeitadas. Por que seria diferente quando a decisão é da categoria dos TAEs?

Neste sentido, a diretoria da Adunifesp-SSind convida os docentes a conhecer a pauta da greve dos TAEs – que apresenta vários pontos em comum com as reivindicações da greve nacional dos docentes -, e apela para um maior diálogo com os TAEs, ampliando a mobilização política em defesa da Universidade pública, laica e de qualidade.

Com tal intuito reforçamos o encaminhamento da última assembleia geral docente realizada em 1º de julho de 2015 de retomar as discussões sobre as condições de trabalho da categoria docente e do movimento grevista nacional, com nova rodada de assembleias locais nos campi com a seguinte agenda indicativa de datas: 04/08 – câmpus Guarulhos; 04/08 – câmpus São José dos Campos; 05/08 – câmpus Diadema; 05/08 – câmpus Baixada Santista; 06/08 câmpus São Paulo e 06/08 câmpus Osasco, com posterior realização da Assembleia Geral da categoria marcada para o dia 11/08 às 12 horas no câmpus São Paulo.

Diretoria Adunifesp-SSind

“As conquistas nem sempre chegam com o verbo, muitas vezes há que arrancá-las com os braços”

A Diretoria da Associação dos Docentes da universidade Federal de São Paulo -Unifesp, seção sindical (Adunifesp-SSind) vem por meio do presente comunicado reforçar o apoio incondicional ao movimento grevista dos Técnicos Administrativos em Educação (TAE) da Unifesp, e dos TAEs em nível nacional. Desde junho, quando divulgamos à comunidade uma moção de apoio à esse movimento, a Adunifesp-SSind entende que toda luta pelos direitos de toda e qualquer categoria da classe trabalhadora de nosso país é justa e merece respeito.

Além das pautas específicas relativas aos técnicos, como a jornada de 30 horas em setores em que isso seja amparado pela lei, cabe lembrar que muitas das reivindicações dessa categoria atendem a anseios de toda a comunidade Unifesp, tais como:

  • Contra os cortes no orçamento;
  • Pelo cumprimento das deliberações aprovadas no Congresso da UNIFESP;
  • Representação paritária entre técnicos administrativos, docentes e discentes nos conselhos centrais e congregações, eleitas por suas respectivas categorias;
  • Rever o projeto de expansão na universidade para que a sua implementação não seja precária;
  • Criar um fórum democrático de discussão para implementação de creches à comunidade universitária.

Esses e muitos outros pontos da pauta de greve dos TAEs convergem para uma universidade mais transparente e com condições mais adequadas de trabalho e de ensino que beneficiam docentes, técnicos e estudantes.

As conquistas nem sempre chegam com o verbo, muitas vezes há que arrancá-las com os braços. A defesa da educação pública e de qualidade precisa de nossos braços e de nossas ideias, capazes de promover uma verdadeira transformação positiva da sociedade brasileira.

Diretoria Adunifesp-Ssind
Gestão 2013-2015

Encerramento das Inscrições – Chapa(s) Inscrita(s)

Conforme divulgado em edital datado de 07 de julho de 2015, informamos que as inscrições de chapas para concorrerem à eleição de diretoria da Associação dos Docentes da Universidade Federal de São Paulo – Seção Sindical se encerraram na data de 22/07/2015, às 16h.

Informamos, ainda, que houve inscrição de uma única chapa, de acordo com o prazo estipulado no referido edital, a qual conta com a seguinte composição:

CHAPA “UNIÃO E PLURALIDADE NA DEFESA DA UNIVERSIDADE PÚBLICA”

Presidente: RODRIGO MEDINA ZAGNI (Campus Osasco – Relações Internacionais);

Vice-presidente: CARLOS ALBERTO BELLO E SILVA (Campus Guarulhos – Ciências Sociais);

Secretário Geral: DANIEL FELDMAN (Campus Osasco – Ciências Econômicas);

Tesoureiro Geral: VIRGINIA JUNQUEIRA (Campus Baixada Santista – Gestão e Cuidados em Saúde);

Diretora de Relações Sindicais, Jurídicas e Defesa Profissional: MARIA GRACIELA GONZALEZ PEREZ DE MORELL (Campus Baixada Santista – Saúde, Educação e Sociedade);

Diretora de Política Sócio-cultural: RENATA CRISTINA GONÇALVES DOS SANTOS (Campus Baixada Santista – Políticas Públicas e Saúde Coletiva);

Diretora Campus Baixada Santista: CLAUDIA MARIA FRANÇA MAZZEI NOGUEIRA (Campus Baixada Santista – Saúde, Educação e Sociedade);

Diretor Campus Osasco: ALBERTO HANDFAS (Campus Osasco – Ciências Econômicas);

Conforme exigência do Estatuto, informamos que todos os membros da referida chapa estão aptos a concorrer aos cargos indicados.

Ressaltamos que a campanha eleitoral se inicia na data de hoje, estendendo-se até 14 de agosto de 2015. Lembramos que a eleição ocorrerá nos dias 17, 18 e 19 de agosto de 2015, em locais e horários a serem brevemente divulgados.

Atenciosamente,
Prof. Dr. Raúl Bonne Hernández

Presidente da Adunifesp-SSind.

Gestão 2013/2015

São Paulo, 24 de
julho de 2015

TERCEIRO EDITAL DE CONVOCAÇÃO (RETIFICAÇÃO DO 2º EDITAL)

Eleição Adunifesp-SSind. – Gestão 2015/2017

CONSIDERANDO a necessidade de retificação do Segundo Edital de Convocação para a Eleição da Adunifesp-SSind., publicado em 24 de junho de 2015 no site institucional desta entidade, a fim de atender aos termos do artigo 43 do seu Estatuto, que determina que a inscrição dos candidatos à Diretoria será feita através de chapa e o prazo para inscrição de chapas será de 15 (quinze) dias contados a partir da publicação do Edital de convocação, vem redefinir pelo presente Edital publicado nesta data, 07 de julho de 2015, que quanto ao período de inscrições constante do Item 3 “Inscrições” do mencionado Edital

leia-se “08 de julho de 2015 a 22 de julho de 2015” onde se lê “29 de junho a 06 de julho de 2015”,

bem como, quanto ao Item 4 “Campanha” do referido Edital, que:

leia-se “24 de julho de 2015 a 14 de agosto de 2015”, onde se lê “07 de julho de 2015 a 14 de agosto de 2015”

São Paulo, 07 de julho de 2015.

Profa. Dra. Virginia Junqueira
Vice-Presidente da Adunifesp-SSind.
Presidente em exercício

Moção de repúdio aos cortes da Capes

Os professores da Unifesp reunidos em assembleia da Adunifesp no dia 01 de julho de 2015 repudiam os cortes anunciados pela Capes no valor de R$ 780.000,00, infligindo grande perda a programas de grande relevância acadêmica e de formação profissional. Os cortes se devem a contribuição da agência ao ajuste fiscal do governo federal que vêm impondo perdas significativas de direitos e agora atinge diretamente programas que financiam parte da produção acadêmica nacional. Entidades acadêmicas em todo o Brasil tem se mobilizado para barrar estes cortes e nos solidarizamos com estas iniciativas com o objetivo de impedir que tais cortes orçamentários sejam efetivados.

Adunifesp-SSind

Moção de repúdio à inação do Ministro da Educação

Os docentes da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), reunidos em assembleia realizada no dia 1º de julho manifestam seu repúdio à inação do Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro,  em meio à crise na educação brasileira profundamente agravada pelos cortes orçamentários do chamado ”ajuste” fiscal. O movimento nacional de greve no Ensino Superior nas Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) é ignorado, não havendo qualquer manifestação por parte do ministro em abrir diálogo com o Comando Nacional da Greve docente, que hoje envolve 38 Ifes com paralisação de docentes e 65 de técnicos administrativos em educação, e tão pouco demonstra interesse e indícios de envolvimento na participação nas negociações indicando membros de sua equipe para as reuniões até aqui ocorridas. Ademais  não reconhece compromissos estabelecidos anteriormente entre o Ministério da Educação  e o ANDES-SN, cumprindo apenas compromissos com a privatização do ensino superior ao continuar financiando o Fies, apesar dos corte, submetendo-se de forma subalterna às decisões do Ministério de Orçamento Planejamento e Gestão que são completamente alinhadas com a política econômica do “ajuste” fiscal. A forma descompromissada como trata a grave crise das IFES, fica ainda mais evidente quando prefere acompanhar os 90 membros que compuseram a comitiva presidencial aos EUA a assumir papel protagônico na condução das negociações com o Movimento Docente em greve.

Plenária dos Docentes da Unifesp reunidos em Assembleia

SEGUNDO EDITAL DE CONVOCAÇÃO Eleição Adunifesp-SSind. – Gestão 2015/2017

Tendo em vista que não houve inscrição de chapas após lançamento do Edital de 19 de março de 2015 e, para dar cumprimento ao deliberado em Assembleia Geral dos Docentes da Universidade Federal de São Paulo realizada em 14 de maio de 2015, vimos por meio deste abrir segundo Edital de Convocação de Eleições para Diretoria da Adunifesp-SSind., Gestão 2015/2017, nos seguintes termos:

  1. As inscrições serão realizadas por chapas com a seguinte composição:

– PRESIDENTE
– VICE-PRESIDENTE
– SECRETÁRIO GERAL
– 1º SECRETÁRIO
– TESOUREIRO GERAL
– 1º TESOUREIRO
– DIRETOR DE RELAÇÕES SINDICAIS, JURÍDICAS E DEFESA PROFISSIONAL
– DIRETOR DE IMPRENSA E COMUNICAÇÃO
– DIRETOR DE POLÍTICA SÓCIO-CULTURAL
– DIRETOR DE POLÍTICA UNIVERSITÁRIA
– 01 (UM) DIRETOR REGIONAL PARA CADA CAMPUS DA UNIFESP

O Estatuto da Adunifesp-SSind. referente às eleições e atribuições da Diretoria está disponível aos interessados na sede da entidade;
Todos os candidatos deverão ser sócios da Adunifesp-SSind.
2. A eleição da Diretoria da ADUNIFESP-SSIND será realizada e acompanhada por uma comissão eleitoral, cujos nomes devem ser indicados, pelo Conselho de Representantes, no prazo de 10 dias após a convocação das eleições para Diretoria. A comissão eleitoral terá pelo menos 2 (dois) representantes do CR, 1 (um) representante da Diretoria e 1 (um) representante indicado por cada chapa inscrita.
3. Inscrições:
29 de junho a 06 de julho de 2015.
4. Campanha:
07 de julho a 14 de agosto de 2015.
5. Local das inscrições:
Sede da Adunifesp-SSind (Rua Napoleão de Barros, 837/841 – Vila Clementino) de 2ª.f à 6ª.f, das 8h às 16h, com Roseli ou Andréa. Os professores candidatos que compõem a chapa deverão preencher o formulário padrão disponível na entidade.
6. Data da eleição:
17, 18 e 19 de agosto de 2015.
7. Data da apuração dos votos:
21 de agosto de 2015, na sede da Adunifesp-SSind.
8. Posse da Diretoria:
26 de agosto de 2015.

Prof. Dr. Raúl Bonne Hernández
Presidente da Adunifesp-SSind.
São Paulo, 24 de junho de 2015.

Sobre matéria “Inacabado, campus da Unifesp é assaltado pela 3ª vez no ano”, publicada pelo jornal Folha de São Paulo no dia 1º de julho de 2015

Prezados editores e jornalista da Folha de São Paulo,

A assembleia dos docentes da UNIFESP, reunida no dia 1 de julho de 2015, gostaria de informar que não há qualquer debate sobre transferência do campus da EFLCH/UNIFESP, localizado provisoriamente no centro de Guarulhos e aguardando a finalização da obra do campus no bairro dos Pimentas, para o bairro da Luz, na região central da cidade de São Paulo.
Cabe, ainda, informar que a UNIFESP não possui prédio neste lugar. Desta forma, sugere-se aos jornalistas editores da Folha de São Paulo que verifiquem melhor suas fontes, assim como as informações recebidas, antes de publicá-las como se fossem fatos consumados.
Agradecemos, no entanto, a publicação relativa ao assalto ocorrido, e aproveitamos para reiterar a urgência do comprometimento do MEC com os problemas de segurança no campus do Pimentas.

Cordialmente, subscrevemo-nos,

DECISÕES DA ASSEMBLEIA GERAL DOS DOCENTES DA UNIFESP EM 1º/JUL/15

Em 28 de maio foi deflagrada a greve nacional da categoria docente do ensino superior nas instituições federais. Os principais eixos de reivindicações são: melhoria nas condições de trabalho, reestruturação da carreira docente e reajuste salarial à frente da inflação.  No decorrer deste mês de greve nacional da categoria docente, o MPOG e o MEC apresentaram propostas que não dialogam e não atendem as nossas reivindicações.

A proposta de reajuste salarial de 5,5% em janeiro de 2016, 5% em 2017, 4,75% em 2018 e 4,5% em 2019 apresentada pelo MPOG não repõe sequer as perdas inflacionárias. O secretário do MPOG, Sérgio Mendonça, disse que essa é uma proposta inicial a partir da qual passaria a negociações com cada setor dos servidores públicos federais.

Os docentes da Unifesp vem discutindo a situação nacional e local, com rodadas de assembleias locais e gerais desde maio, com a avaliação de que a Unifesp não teria condições de entrar em greve junto as demais universidades federais em 28 de maio. Na assembleia de 24 de junho, em sintonia com o movimento nacional da base do ANDES-SN, a greve dos técnicos-administrativos nacional e na Unifesp e a greve dos médicos residentes, os docentes presentes na assembleia avaliaram a necessidade de indicar a adesão da categoria à greve nacional para 1º de julho e a realização de rodadas de assembleias locais e assembleia geral para a mesma data.

A assembleia de 1º de julho avaliou a impossibilidade da categoria aderir à greve nacional neste momento, uma vez que cinco dos seis campi da universidade se posicionaram contra a deflagração da greve a partir do dia 1º. Entretanto, o campus São José dos Campos está em greve e a assembleia geral manifestou reconhecimento e apoio à greve dos docentes daquele campus. Aprovou ainda nova rodada de assembleias locais na primeira semana de agosto e nova assembleia geral no dia 11 de agosto.

Diretoria da Adunifesp-SSind