Arquivo mensais:junho 2015

ASSEMBLEIA GERAL DOS DOCENTES DA UNIFESP 1º/JULHO

ag01julpost26-06-15

Prezados Colegas,

Convocamos Assembleia Geral dos docentes da Unifesp que será realizada em:

 – Data: 01/07/2015 (quarta-feira)

– Horário: das 11h30 às 14h

– Local: Anfiteatro Maria Teresa Nogueira de Azevedo (Anf. A) – Ed. Octavio de Carvalho – Campus São Paulo – Rua Botucatu, 740 – subsolo

– Pauta:
1. Informes.
2. Deflagração da greve docente na Unifesp;
3. Criação do Comando Local de Greve;
4. Atividades de mobilização do movimento.

Contamos com sua presença!

Diretoria da Adunifesp-SSind.

Moção de Apoio à Greve dos Médicos Residentes da Unifesp

A Associação dos Docentes da Unifesp (Adunifesp-SSind) vem a público manifestar seu apoio e solidariedade à greve e às reivindicações dos médicos residentes da Unifesp, uma legítima luta política contra as precárias condições de trabalho, ensino e saúde.

Com greve deflagrada em 23 de junho o movimento luta por melhores condições de trabalho, ensino e atendimento no Hospital São Paulo completamente afetados pelos cortes orçamentários, faltam servidores,  espaço adequado, equipamentos de qualidade e medicação; os médicos residentes acabam atuando em condições precárias e completamente sobrecarregados.

A Adunifesp-SSind entende que toda luta pelos direitos de toda e qualquer categoria da classe trabalhadora de nosso país é justa e merece respeito e apoio.

Diretoria Adunifesp

Moção de Apoio à Greve dos Técnicos Administrativos em Educação da Unifesp

A Associação dos Docentes da Unifesp (Adunifesp-SSind) vem a público manifestar seu apoio e solidariedade à greve e às reivindicações dos servidores técnicos administrativos em educação da Unifesp, uma legítima luta política contra as precárias condições de trabalho, ensino e saúde.

Com greve deflagrada em 1º de junho o movimento luta defendendo a pauta nacional por melhores condições de trabalho; Revogação das Leis que criaram a EBSERH e a FUNPRESP; Por uma politica salarial permanente com correção das distorções e reposição das perdas inflacionárias; Índice linear de 27,3%; Estabelecimento de Data-base em 1º de maio; Pelo direito de negociação coletiva (convenção 151 OIT) e liberação de dirigentes para o exercício de mandato classista; Pela instituição da Ascensão Funcional; Pela paridade salarial entre ativos, aposentados e pensionistas. E  assume as reivindicações locais como a implementação imediata da jornada de 30h e representação paritária entre técnicos administrativos, docentes e discentes nos conselhos centrais e congregações eleitas por suas respectivas categorias.

A Adunifesp-SSind entende que toda luta pelos direitos de toda e qualquer categoria da classe trabalhadora de nosso país é justa e merece respeito e apoio.

Diretoria Adunifesp

Moção do Conselho de Entidades em apoio às reivindicações dos residentes multiprofissionais da Unifesp

O Conselho de Entidades da Unifesp vem a público manifestar seu apoio e solidariedade às reivindicações dos residentes multiprofissionais da Unifesp, uma legítima luta política contra as precárias condições de trabalho e ensino. Sua pauta de reivindicações – 1) pela desoneração dos residentes multiprofissionais como substitutivo de recursos humanos incipientes e a abertura de propostas de incrementação da estrutura assistencial e pedagógica dos programas de residencia multiprofissional; 2) pela abertura do canal de escuta de situações de assédio moral que seja integrado à gestão do hospital e dos outros serviços integrados aos programas de residência multiprofissional; 3) pela transparência dos projetos político pedagógicos dos programas de residência multiprofissional; 4) pela composição de uma comissão de avaliação da qualidade dos programas de residência multiprofissional; 5) e pelo apoio às outras entidades mobilizadas que compõem o hospital universitário e outros serviços.

Conselho de Entidades da Unifesp

NOTA SOBRE A ASSEMBLEIA GERAL DOS DOCENTES DA UNIFESP EM 24/JUN/2015

A assembleia contou com a presença de 20 docentes e teve como pauta: 1) a análise e balanço da Greve Docente em nível nacional; 2) a situação interna das condições de trabalho e Ato realizado pelo Conselho de Entidades na Reitoria; 3) posição dos campi da Unifesp sobre a greve; 4) votação sobre a greve da categoria; 5) e também as diferenças de correção monetária na conta do FGTS decorrentes dos Planos Econômicos.

Iniciou-se com uma série de informes sobre os temas pautados, inclusive com a presença do comando de greve local dos TAEs, dos médicos residentes e dos residentes multiprofissionais. Após os informes e análises colocou-se em discussão a mobilização local e a greve da categoria docente. Por fim foram propostos e votados seis encaminhamentos:

1) Greve da categoria docente – Resultado: Aprovado (14 votos a favor; 01 voto contra; 03 abstenções);
2) Início da greve da categoria docentes para 01/JUL – Resultado: Aprovado por unanimidade;
3) Próxima Assembleia Geral dos Docentes para 01/JUL – Resultado: Aprovado por unanimidade;
4) Rodadas de assembleias locais nos campi para 29/06 e 30/06 – Resultado: Aprovado por unanimidade;
5) Pagamento de taxa (assessoria jurídica + assessoria contábil)
relacionada ao processo jurídico de correção monetária do FGTS –
Resultado: Aprovado (12 votos a favor e 01 abstenção);
6) Elaboração de moção de apoio à greve dos TAEs e dos Médicos Residentes – Resultado: Aprovado por unanimidade.

Diretoria Adunifesp-SSind

Nota da Adunifesp-SSind sobre conjuntura nacional e local quanto à mobilização aponta o acerto da nossa postura política

Ato conjunto do dia 17/06/15: avaliação e postura políticas precisas e necessárias   

 

Na manhã fria de 17 de junho, foi realizado Ato Público conjunto convocado pelo Conselho de Entidades (CE) da Unifesp entre as categorias docente, técnico-administrativo em educação e discente, o qual reuniu cerca de 80 manifestantes mobilizados em torno do eixo comum: contra o PL4330 da terceirização; contra o ajuste fiscal e os cortes orçamentários na educação e pelo respeito às deliberações do I Congresso Institucional da Unifesp, com destaque para a questão da paridade. Considerando o eixo político comum, o objetivo do Ato, além da mobilização e de expressar a indignação frente às péssimas condições de trabalho, ensino e aprendizagem na Unifesp, foi entregar à Reitoria e ao CONSU dois documentos elaborados e assinados pelo CE, um deles criticando o tom ameno, conciliador, passivo e de desconsideração da dimensão política do “Informativo do grupo de trabalho de acompanhamento orçamentário da Unifesp”, publicado na página da Reitoria no dia 12/06/15 que, ao tornar públicas as ações internas à Unifesp para  buscar equilibrar gastos e despesas sem o devido posicionamento crítico assume que é possível funcionar com menos verbas além de criar junto a comunidade universitária uma aparência de ausência de problemas orçamentários. O outro documento critica a decisão adotada pelo CONSU da Unifesp, por iniciativa da Reitoria, de criar Comissão para sistematizar, novamente, as deliberações do I Congresso Institucional da Unifesp, algo já realizado pela Comissão Paritária de Sistematização eleita no próprio Congresso, no qual é exigido a apreciação imediata pelo CONSU de tais deliberações. (Leia os documentos do Conselho de Entidades na íntegra aqui e aqui).

Tal mobilização e ação política mostraram-se acertadas e precisas em sua avaliação da conjuntura nacional e também necessária, já que na mesma semana tornou-se pública a amplitude  de mais uma dimensão dos cortes na educação superior pelo Ministério da Educação, a qual agora envolve também verbas de Capital. Além dos já prejudicados recursos de Custeio que afeta o cotidiano das IFES foi anunciado um corte de 47% nos recursos de Capital, cerca de R$ 25 milhões só na Unifesp, o que afeta principalmente os recursos para investimentos como obras e materiais permanentes como mobiliário e equipamentos eletrônicos.

A manifestação conjunta exigindo uma postura mais ativa e crítica da Reitoria frente a conjuntura nacional dos cortes orçamentários mostrou-se completamente fundamentada e necessária. No contexto local ficou nítida a importância dessa tomada de posição da comunidade universitária unida, pois a manifestação oficial das instâncias administrativas da Unifesp antes do Ato Público no já comentado e criticado Informativo do grupo de trabalho orçamentário, era passiva  e ambígua do ponto de vista político, referindo-se aos cortes como “contingenciamento financeiro” ou ainda como “otimização de gastos”. Após a manifestação política das categorias unidas, o posicionamento e discurso da Reitoria muda radicalmente e, em seu último boletim, os cortes são agora criticados e referidos como “ameaças violentas à universidade pública”, num tom muito semelhante ao adotado pelos documentos do CE.
Não há desmedida política nas exigências da comunidade universitária expressas nas reivindicações colocadas no ato de 17/06: o contexto nacional da educação é de severa crise e de escolhas políticas completamente ameaçadoras à educação superior pública, gratuita e de qualidade, que não se sustenta pelo dístico mistificador “Pátria Educadora”. Ainda nesta semana o quadro de paralisação docente nas IFES em greve ampliou-se de 30 instituições para 35 com a importante adesão dos colegas da UFRJ. Quanto aos TAEs, continuam em greve em mais de 60 IFES e ampliando sua mobilização no campus São Paulo, onde o Hospital Universitário deixou de fazer  internações eletivas ou não emergenciais por falta completa de condições. Ademais, os TAEs do campus Guarulhos aderiram à greve no dia 22/06 .
A luta política expressa na greve está engrossando e, nesse sentido, os TAEs saíram na frente e merecem todo nosso apoio. Com a manifestação conjunta dos três segmentos organizada pelo Conselho de Entidades ficou comprovada a importância e a necessidade de caminharmos para maior envolvimento das demais categorias.

Diretoria da Adunifesp-SSind

ASSEMBLEIA GERAL DOS DOCENTES DA UNIFESP 24/JUN

ag24junpost19-06-15

Prezados Colegas,

Convocamos Assembleia Geral dos docentes da Unifesp que será realizada em:

 – Data: 24/06/2015 (quarta-feira)

– Horário: das 11h30 às 14h

– Local: Anfiteatro Maria Teresa Nogueira de Azevedo (Anf. A) – Ed. Octavio de Carvalho – Campus São Paulo – Rua Botucatu, 740 – subsolo

– Pauta:
1. Informes.
2. Análise e balanço da Greve Docente em nível nacional.
3. Situação interna das condições de trabalho e Ato realizado pelo Conselho de Entidades na Reitoria.
4. Posição dos campi da Unifesp sobre a greve.
5. Votação sobre indicativo de greve.

Contamos com sua presença!

Diretoria da Adunifesp-SSind.