Arquivo mensais:novembro 2014

Carreira Docente – Aprovadas as normas para promoção classe “E” – Professor Titular

Na reunião extraordinária do Conselho Universitário, realizada no dia 18 de novembro, foram aprovadas as normas para promoção para classe “E” (professor titular) da carreira docente, conforme Lei n. 12.772, de 28 de dezembro de 2012 e Portaria  do Ministério da Educação, n. 982, de 3 de outubro de 2013. Em destaque os principais critérios:

1) A Livre Docência será considerada para pontuação da promoção, mas incluída na produção científica e não como um item à parte;
2) Os pesos das grandes áreas de atividade serão distribuídos da seguinte forma: Ensino (25 pontos); Pesquisa (35 pontos); Extensão (25 pontos); Gestão (15 pontos). E serão iguais para todos os campi;

3) O período de avaliação da vida acadêmica do candidato terá como ênfase aquele em que esteve na classe de Professor Associado, o que não invalida a importância dada pelo candidato a eventos que estejam fora deste período;
4) As Congregações das Unidades Universitárias poderão dar pontuação diferente para os itens dentro de cada grande área de atividades;
5) Não haverá aula de erudição;

É com grande satisfação que a Adunifesp-SSind divulga essa nota. Enquanto entidade voltada para defesa constante de melhoria das condições de trabalho da categoria docente, é necessário assinalar que esta pauta foi central, por envolver de imediato o interesse de 120 docentes, e o resultado político obtido pela ação da Adunifesp-SSind junto à Comissão eleita pelo Consu para elaborar as normas e também junto à instâncias como Congregações e Departamentos foi bastante positivo. Tratou-se de um trabalho minucioso de compilação de informações legais, investigação das regras construídas por outras universidades, incentivo e proposição de debates nos campi, e nas várias assembleias convocadas pela Associação. O pedido de adiamento junto ao Conselho Universitário da nova minuta de Resolução para podermos ampliar e aprofundar os debates entre os docentes e evitar que a Resolução incorporasse aspectos que mais dificultasse do que permitisse a promoção, mostrou-se uma medida benéfica à categoria.
  Consideramos que todo esforço foi válido sendo bastante produtivo e pedagógico, coroando as ações conjuntas de todos os docentes que participaram para o alcance dessa conquista! As condições agora aprovadas para promoção à classe “E” estão mais próximas da estrutura de carreira docente pela qual o movimento nacional dos professores federais lutou em 2012, com destaque para a conquista que obtivemos em relação à  não restrição do número de vagas, de tal forma que se abre agora a possibilidade que todos os colegas que reúnam os requisitos exigidos possam chegar ao último nível da carreira. E também servirão de sólida orientação para a promoção à classe “D” (professor associado).
Assim é importante frisar que o trabalho e as discussões sobre a carreira docente na Unifesp não acabaram. É com a mesma motivação e compromisso que convidamos os docentes, principalmente aqueles em vias de promoção à classe “D”, a buscarem informações e iniciarem debates sobre a próxima etapa a ser objeto de aprovação no Consu. Etapa esta em que a Adunifesp-SSind assumirá novamente um importante papel junto aos docentes para continuarmos conquistando melhorias em relação à carreira docente, pois A LUTA CONTINUA, colegas!

“Su dolor es nuestro dolor, su rabia es nuestra rabia”

estudantes_mexpost17-11-14

Desaparecidos desde o último dia 26 de setembro, 43 estudantes da Escola Normal de Ayotizinapa, em Iguala no México, foram confirmados mortos pelo Procurador-Geral da Justiça mexicana Jesús Murillo Karam. A declaração foi feita no dia 7 de novembro aos familiares seguida da divulgação da confissão de três membros do cartel de narcotráfico “Guerreros Unidos” responsabilizando-se pela execução. A Procuradoria Geral também confirmou a participação da Prefeitura de Iguala nos assassinatos ao ordenar que a polícia entregasse os estudantes ao cartel.

 

No dia 26 de setembro, em meio a um protesto na prefeitura local em que os estudantes reivindicavam mais recursos para a sua Escola Normal, voltada à formação de professores, os policiais, sob ordens do então prefeito (agora detido e destituído de seu cargo), atacaram os manifestantes, em sua maioria estudantes, para evitar desdobramentos negativos à continuidade do seu mandato. No ataque seis pessoas morreram e 43 foram dados como desaparecidos, a maioria deles entre 18 e 21 anos de idade. Desde então as denúncias sobre a relação entre a polícia e o cartel de narcotráfico multiplicaram-se, questionando os interesses envolvidos e a específica violência e motivação neste caso. Uma agência de comunicação independente mexicana descreveu o conflito de interesses da seguinte forma, evidenciando sua complexidade:
“O que não está claro é o nível de vínculo entre o prefeito e o grupo de GU-Polícia, quem deu a ordem direta de executar os estudantes e onde estão os demais. Não se sabe se as motivações para realizar essa chacina são de origem política, se se trata de uma mensagem para a organização inimiga, Los Rojos; se é um ajuste de contas entre as duas facções partidárias em disputa pelo poder estadual, quer dizer, entre o Partido Revolucionário Institucional (PRI) e o Partido da Revolução Democrática (PRD), ou melhor, entre a família Figueroa e o bloco de Ángel Aguirre”.

 

Após um mês e meio do desaparecimento, da ausência de notícias até então, essa trágica confirmação não pode significar que o caso esteja encerrado e que devemos esquecê-lo. Mesmo com muito ainda a ser investigado e esclarecido, considerando a dificuldade de tornar públicas as informações dado os conflituosos e poderosos interesses políticos envolvidos no caso, temos o suficiente para formular que tais ações são hediondas, completamente inaceitáveis e intoleráveis.

 

A Adunifesp-SSind repudia veementemente esse ato bárbaro contra os jovens que, como muitos de nós, lutavam pela melhoria das condições de ensino e do magistério.
“Vivos foram levados, vivos nós os queremos!”

Fonte: Agencia Autonoma de Comunicação Subversiones, ANDES-SN, Carta Capital.

NOTA DE ESCLARECIMENTO: sobre o Congresso da Unifesp

Nota de esclarecimento sobre o Congresso da Unifesp

A Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo (Adunifesp-Ssind) manifesta-se sobre a acusação de manipulação política dos delegados e da discussão no Congresso da Unifesp feita à instituição em meio a plenária final do evento.

Em primeiro lugar é preciso esclarecer que a Adunifesp-SSind não participou das atividades e nem estava representada institucionalmente no Congresso, como consta no artigo 5º do Regimento do Congresso apenas tiveram participação: a) Delegados(as) devidamente eleitos(as) e credenciados(as), com direito à voz e a voto; b) Membros da Comissão Organizadora do Congresso, sem direito a voto, para assessorarem o Congresso; c) Os(as) convidados(as) pela Comissão Organizadora, com direito à voz.

 

Ainda conforme o Regimento do Congresso a primeira categoria de participantes, os delegados, que formaram a maioria da plenária, foram eleitos em assembleias dos segmentos de forma paritária, 100 docentes, 100 técnicos e 100 discentes. Os delegados, respeitando a paridade, foram eleitos em diferentes instâncias da universidade (congregações, conselhos, assembleias de campi) e em assembleias organizadas pelo Conselho de Entidades, conforme consta no Regulamento do Congresso. Portanto, a Adunifesp-Ssind não convocou assembleias para eleição de docentes em sua representação, pois os delegados foram eleitos de acordo com teses e propostas apresentadas no período de preparação do congresso. Mas enquanto espaço institucional, representativo da categoria, a Adunifesp-Ssind contribuiu com a organização de assembleias chamadas pelo Conselho de Entidades, abertas aos três segmentos, conforme Regimento do Congresso e sempre com a presença de um membro da Comissão Organizadora do Congresso.

Em segundo lugar é preciso ressaltar a diferença entre estrutura, instituição Adunifesp-Ssind e os docentes que participam de sua diretoria. Estes docentes tem completa e irrestrita liberdade para atuação política na universidade e em qualquer outro espaço social, e de nenhuma maneira é representante individual imediato da instituição. Portanto, não é possível responsabilizar ou mesmo acusar a Associação de manipulação política através de um de seus membros, os docentes estavam participando do Congresso sem nenhuma representação da instituição.

Fica evidente que a acusação realizada durante o Congresso, direcionada a Associação dos Docentes da Universidade de São Paulo – Adunifesp-Ssind não possui nenhuma fundamentação e nem procedência, e não deve atingir uma associação que tem como exclusivo objetivo lutar por melhores condições de trabalho para a categoria docente.

Diretoria da Adunifesp-SSind

Relatório do Congresso da Unifesp (Adunifesp-SSind)

relatorio_congresso_adpost11-11-14

Caros colegas docentes, amanhã termos reunião do CONSU em que dentre outras pautas será discutida e votada a continuidade do Congresso da Unifesp. Cientes de sua importância para a universidade e a favor de sua continuidade publicamos um relatório retomando as teses e propostas discutidas e votadas nos Grupos de Trabalho do Congresso, um espaço de discussão muito elogiado pela maioria dos delegados, de todas as categorias, que não deve ser perdido, mas sim considerado como um novo ponto de partida para a retomada dos trabalhos.

Acesse aqui mesmo no nosso site nas Publicações/Relatórios ou neste link:

http://issuu.com/adunifesp/docs/relat__rio_congresso_unifesp

CONGRESSO DA UNIFESP: balanço do primeiro dia

congresso_unifesppos03-11-14

 

O Congresso de uma instituição como a Unifesp está investido de um caráter político, administrativo e acadêmico decisivo para o futuro da universidade pública brasileira.

 

Nesse sentido tivemos nesse primeiro dia de atividade, na plenária de abertura, a revisão do regimento do Congresso, em que foram apreciadas e decididas duas significativas mudanças: 1) Sobre a sua organização – ficou decidido que a Mesa Diretora, responsável pela condução de todas as etapas do Congresso, será composta de maneira paritária entre as categorias, com 3 membros de cada, TODOS ELEITOS NESSA MESMA PLENÁRIA com candidatos inscritos e VOTADOS POR TODOS, independente da categoria (e não indicados pela Comissão Organizadora com estava inicialmente descrito no regimento); 2) Sobre suas atribuições – ficou decidido que após a apreciação e votação das propostas e teses durante o Congresso será COMPOSTO UM GRUPO DE TRABALHO (igualmente eleito em plenária) PARA SISTEMATIZAÇÃO DAS PROPOSTAS, que serão posteriormente ENCAMINHADAS PARA EXAME do Conselho Universitário.

Gostaríamos de ressaltar que o entusiasmo generalizado neste primeiro dia de atividades representa um motivo de comemoração democrática. E que teremos, durante os próximos dias desse Congresso e pelas próximas etapas até podermos colaborar com o aperfeiçoamento e o avanço democrático necessários ao estatuto e ao regimento da universidade, a tarefa de suspender todos os nossos interesses específicos e particulares em benefício de refletir coletiva e aprofundadamente sobre os melhores alicerces orientadores na construção participativa do bem coletivo que representa a instituição que desejamos de excelência em ensino, pesquisa, extensão e gestão, pública, socialmente responsável, gratuita, para todos e para todas, dependente exclusivamente de recursos públicos e que possam assim gozar de efetiva autonomia na condução dos seus rumos.

 

Saudações universitárias a todas e a todos!

Adunifesp-SSind

Boletim Adunifesp #Extra

boletim_expost02-11-14

Prezados colegas docentes, acabamos de publicar uma edição extraordinária do Boletim Eletrônico da Adunifesp-SSind!!

Caso não estejam recebendo o Boletim na íntegra em seu correio
eletrônico, entrem em contato, deixem um comentário nesta nóticia com um
email para contato que enviamos! Disponibilizamos todos os números e edições aqui mesmo no site em “Publicações”.

Ou então acesse versão digital online:

http://issuu.com/adunifesp/docs/boletim_adunifesp__extra

Sugestões e críticas também são bem vindas!

Boa leitura!