Arquivo mensais:fevereiro 2014

Começa o 33º Congresso do ANDES-SN

Realizada na manhã desta segunda-feira (10), abertura do 33º Congresso do ANDES-SN reúne mais de 400 pessoas, e destaca a cultura maranhense e a importância da unidade na luta para 2014

A riqueza da cultura maranhense, demonstrada na música, na dança e no histórico de luta dos movimentos sociais da população local, marcou a abertura do 33º Congresso do ANDES-SN na manhã desta segunda-feira (10), realizada no Centro Pedagógico Paulo Freire, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Com o tema “ANDES-SN na defesa dos direitos dos trabalhadores: organização e integração nas lutas sociais”, a 33ª edição do Congresso reúne docentes – delegados, observadores e convidados – de todo o país, até o próximo sábado (15). Mais de 400 pessoas participaram da abertura.

O exemplo de luta e de resistência dos movimentos sociais e da população maranhense, que sofre nas mãos de governos antissociais, foram ressaltadas nas falas dos representantes das entidades presentes. A importância da unidade na luta, a partir da integração das várias categorias de trabalhadores e do fortalecimento do ANDES-SN e da CSP-Conlutas, também foi destacada durante a abertura.

“Estamos iniciando o nosso Congresso com companheiros de todo o Brasil. Temos como tarefa central cumprir o papel de dar direção ao movimento docente para a luta de 2014, em uma conjuntura tão difícil e desafiadora. Esta não é primeira vez que estamos em São Luís, cidade que tem na sua história contrates e contradições, e lutas travadas pelos companheiros que representam os movimentos sociais do estado para se livrar dos tentáculos da oligarquia exploradora e opressora”, afirmou a presidente do ANDES-SN, Marinalva Oliveira, na Plenária de Abertura.

Marinalva destacou ainda a responsabilidade do Congresso na definição das ações em defesa do projeto de educação pública, por melhores condições de trabalho, carreira e salário, na intensificação da atuação do Sindicato Nacional e no fortalecimento da CSP-Conlutas. “Temos a tarefa de apontar as estratégias para melhor posicionamento da classe trabalhadora, tanto na conquista de direitos como na acumulação de forças. Precisamos nos fortalecer e para isso a unidade é imprescindível”.

A presidente do ANDES-SN falou também sobre os desafios apontados pela conjuntura, com a realização das eleições e da copa do mundo em 2014, e com um governo que tem intensificado a retirada de direitos dos trabalhadores, priorizado a realização de megaeventos e criminalizado cada vez mais os movimentos sociais e sindicais. “Para enfrentar esses ataques temos que construir nosso plano de lutas de 2014, com significativo alcance para ampliar o poder da mobilização para avançar na história de classes. Devemos nos articular com todos os setores classistas, estudantes, movimentos sociais e principalmente no nosso campo de luta, com a CSP-Conlutas e todos os movimentos, com o objetivo de chegar a um novo patamar de sociedade”.

Marinalva lembrou que o 33º Congresso dará início ao processo de eleição para o biênio 2014-2016. “Este será o momento da renovação. Diante de todos os ataques, e diante do poder de mobilização e de luta que podemos ter, é fundamental a unidade de todos os setores que têm como princípio a defesa do nosso Sindicato. A nossa compreensão é que este momento de eleições exige pensar na conjuntura e, diante dela, precisamos ter um sindicato fortalecido, uma direção representativa da sua base e de todos os princípios que foram construídos durante esses anos”.

Ao dar boas vindas aos congressistas, o presidente da Apruma Seção Sindical, Antônio Gonçalves, relatou alguns dos problemas enfrentados pela comunidade acadêmica da UFMA. “Para nós realizar o congresso no Maranhão e dentro da UFMA tem grande significado político. O Maranhão é um estado de resistência da população negra, indígena, de trabalhadores e trabalhadoras e vive uma realidade perversa, dominado por uma oligarquia há quase meio século, antecedida por outras oligarquias, mas temos um povo que resiste. Na universidade enfrentamos o autoritarismo, a falta de democracia e a implementação de todas as políticas de governo, como o Reuni, a Ebserh e a adesão de 100% ao Sisu. Em 2007 eram 9 mil estudantes e hoje são 30 mil. São oito campi, com professores trabalhando em condições precarizadas”, exemplificou. E acrescentou: “desejamos que o Congresso possa construir uma pauta e o plano de lutas geral e dos setores que reflita o desejo da nossa base”.

Em sua saudação ao Congresso, o coordenador da CSP-Conlutas, Paulo Barela, ressaltou que a realização deste encontro em São Luís é uma situação emblemática. “Aqui observamos todo o descaso e as políticas aplicadas pelas oligarquias que existem em nosso país, como o assassinato de militantes e ativistas das causas sociais, o descaso com a saúde e com a educação e a miséria, que fica de frente para o palácio do governo”, disse.

Entre os desafios do 33º Congresso, Barela citou a construção da unidade da classe. A luta pela saúde e educação gratuitas, contra a Ebserh e para o fortalecimento da previdência pública do país com a derrubada do Funpresp, e o avanço na construção do Encontro Nacional de Educação, previsto para agosto deste ano, foram citados por pelo representante da Central como importantes tarefas a serem conduzidas pelos docentes e pelo Sindicato Nacional, articuladas com as demais entidades que representam a classe trabalhadora do país.

O coordenador da Fasubra, Gibran Jordão, destacou a importância da unidade das entidades do setor da educação, dos trabalhadores e dos servidores públicos federais para enfrentar o projeto que o governo vem tentando impor às instituições de ensino superior brasileiras. “Esta mesa representa uma unidade importante que queremos construir e que temos compreensão da necessidade de construir”, ressaltou. O dirigente anunciou ainda que, em plenária realizada em Brasília no último fim de semana, a entidade deliberou pela deflagração da greve dos servidores técnicos administrativos para março. “A maioria da Fasubra apontou para a deflagração da greve em 17 de março com pauta específica, mas com disposição para construí-la conjuntamente com demais entidades do serviço público. Queremos construir uma greve com todas as entidades da educação. Estamos juntos nas lutas que vamos desenvolver neste ano”, afirmou.

Durante a Plenária de Abertura, também foi apresentada a última etapa da Campanha de Sindicalização do ANDES-SN pelo 1º vice-presidente do Sindicato Nacional, Luiz Henrique Schuch e realizado o lançamento 53ª edição da Revista Universidade e Sociedade, que tem como tema “Dimensões da luta: vozes da rua e as reflexões da universidade”. Os membros da Comissão da Verdade do ANDE-SN também fizeram uma apresentação sobre as atividades realizadas desde a sua implementação.

Também participaram da mesa de abertura o secretário-geral, Márcio Antônio de Oliveira, o tesoureiro do ANDES-SN, Fausto de Camargo, o 2º vice-presidente da Regional Nordeste 2 do ANDES-SN, Daniel de Oliveira Frauco, o representante do movimento Quilombo Urbano, Hertz Dias, o estudante Micael Carvalho, da Anel, o representante do movimento Moquibom, Santinho, o estudante Giovani Castro, do DCE da UFMA, e a representante da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde, Marli Dias. 24 entidades de movimentos sociais e sindicais também enviaram representantes e saudaram o 33º Congresso.

Cultura

Ao som dos tambores, a forma de expressão de matriz afro-brasileira, o Tambor de Crioula, que envolve dança circular, canto e percussão praticada por descendentes de escravos africanos no Maranhão, foi apresentado pelo grupo Surpresa, que abriu a 33ª edição do Congresso do Sindicato Nacional. Os docentes encerraram a Plenária de Abertura com a Internacional, hino da classe trabalhadora, cantado pelo grupo Quilombo Urbano, presente na solenidade.

Fonte: ANDES-SN

Adunifesp repudia agressão policial a estudante da Instituição

Os protestos contra os gastos do Estado brasileiro com a Copa do Mundo, realizados no dia 25 de janeiro, mais uma vez acabaram com um saldo de dezenas de presos e feridos. O dia do aniversário de 460 anos de São Paulo foi marcado por muita truculência policial, prenunciando qual deve ser a reação do Estado às manifestações que devem ocorrer durante a Copa. Desde as jornadas de junho de 2013, participar de protestos de rua tem ficado cada vez mais difícil e perigoso, o que tem afastado muitas pessoas das manifestações.

Um dos manifestantes que saiu mais machucado dos últimos protestos foi o estudante da Unifesp, Vinícius Duarte, do campus Diadema. Ele foi encurralado com outras pessoas dentro de um hotel no centro de São Paulo e acabou sendo vítima da brutalidade de agentes policiais. O caso do estudante ganhou repercussão na imprensa pelos muitos ferimentos, principalmente no rosto. A diretoria da Adunifesp-SSind. aprovou uma moção em repúdio à ação policial e em solidariedade ao estudante e demais vítimas de violência nas manifestações. Confira:

Moção de repúdio

A Diretoria da Associação dos Docentes da Universidade Federal de São Paulo – Seção Sindical do ANDES-SN, reunida nesta data, expressa publicamente seu repúdio à violência da repressão policial que se abateu sobre integrantes da manifestação, ocorrida no dia 25 de janeiro de 2014, contra os gastos dos governos com a Copa do Mundo no Brasil. Nessa manifestação um dos agredidos foi o estudante Vinícius Duarte, do curso de Química Industrial, do campus Diadema da Unifesp.

O estudante havia se refugiado da policia, junto com outros manifestantes, em um hotel na rua Augusta. Apesar de ninguém dentro do hotel ter oferecido resistência, a brutalidade policial com os manifestantes foi grande. Vinícius, por exemplo, sofreu traumatismo no maxilar, teve três dentes quebrados e sua arcada terá de ser refeita em cirurgia. Além disso, o estudante terá que passar por uma plástica no nariz e está com um coágulo na cabeça.

Repudiamos a violência do Estado e do aparato policial em relação às manifestações políticas e consideramos a brutalidade com que os manifestantes tem sido tratados um atentado ao Estado Democrático de Direito. A polícia, ao invés de cumprir seu papel de proteger a população, encara quem está se manifestando nas ruas como inimigo, criminalizando os movimentos sociais e as ações de cidadania. Nos solidarizamos com o estudante Vinícius Duarte e os demais manifestantes que foram feridos e presos no dia 25 de janeiro, aniversário de 460 anos de São Paulo.

03 de fevereiro de 2014
Diretoria da Adunifesp-SSind. / Gestão 2013-2015

33º Congresso do ANDES-SN tem início na próxima semana

Docentes de todo o país se reunirão em São Luís (MA), entre 10 de 15 de fevereiro, para definir o plano de lutas de 2014

Com o tema “ANDES-SN na defesa dos direitos dos trabalhadores: organização docente e integração nas lutas sociais”, docentes de todas as regiões do país participarão, entre os dias 10 e 15 de fevereiro, do 33º Congresso do Sindicato Nacional, que será realizado em São Luís (MA). Instância máxima de deliberação da categoria, o encontro discutirá e aprovará as políticas prioritárias para o plano de lutas do ANDES-SN de 2014.

A presidente do ANDES-SN, Marinalva Oliveira, afirma que a expectativa é que 2014 seja um ano de muitas mobilizações, na esteira das centenas de manifestações de 2013, por conta da atual conjuntura, marcada pelo aumento do custo de vida, o descaso governamental com as políticas sociais e a realização da copa do mundo este ano no país. “O ano de 2013 resultou em um acúmulo de forças muito grande dos movimentos sindicais e social, o que poderá redundar, neste ano, em uma mobilização intensa pelos direitos dos trabalhadores. Teremos um ano extremamente rico com possibilidades de grandes ações”, prevê.

Entre as pautas que serão discutidas no Congresso, a presidente do Sindicato Nacional cita a construção do Encontro Nacional de Educação, a luta pela aplicação dos 10% do PIB para a Educação Pública, contra privatização dos Hospitais Universitários por meio da criação da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e contra o Fundo de Pensão para os servidores públicos (Funpresp).

A 33ª edição do Congresso do ANDES-SN também marcará o início do período eleitoral na entidade, com o registro das chapas que concorrerão à Diretoria Nacional, que estará à frente do Sindicato entre 2014 e 2016. “O Congresso será um momento rico de análise da conjuntura que está posta e daquilo que está por vir pra 2014. Além disso, é um Congresso que estabelecerá e fará o registro das chapas para a eleição do Sindicato Nacional deste ano. É uma situação muito especial, porque é quando o Sindicato se revigora”, ressalta o secretário-geral do ANDES-SN, Márcio de Oliveira.

O 33º Congresso do ANDES-SN foi convocado em outubro de 2013 e é organizado pela Associação dos Professores da Universidade Federal do Maranhão (Apruma), Seção Sindical do ANDES-SN, conforme deliberação do 32º Congresso, realizado em março deste ano, no Rio de Janeiro.

São Luís

Esta não é a primeira vez que um evento nacional do Sindicato Nacional é realizado em São Luís (MA). Em junho de 1995 e em julho de 2007, a Apruma sediou o 30º e o 52º Conad, respectivamente. “A realização de um congresso nacional do nosso Sindicato em terras maranhenses reverte-se, para nós da Apruma, de grande significado político”, afirma o presidente da Apruma, Antônio Gonçalves Filho, membro da Comissão Organizadora do 33º Congresso e diretor do Sindicato Nacional.

Credenciamento prévio

Os delegados e observadores ao 33º Congresso têm até sexta-feira (7) para fazer o credenciamento prévio, iniciado em 3 de dezembro de 2013, conforme a Circular nº 215/13 (confira), a fim de facilitar o processo de inscrição nos eventos nacionais do ANDES-SN. Durante o 33º Congresso, o credenciamento será realizado no dia 10 de fevereiro, das 9h às 12h e das 14h às 20h.

Pelo menos um representante de cada Seção Sindical ou Secretaria Regional, credenciada previamente, deverá comparecer à Secretaria do 33º Congresso, também no dia 10, para confirmar, ou não, a presença dos delegados e observadores. Esta confirmação é essencial para que o credenciamento se efetive.

Anexo ao Caderno de Textos

Na última quinta-feira (29), o ANDES-SN divulgou, por meio da circular nº 09/2014 (confira), o Anexo ao Caderno de Textos do 33º Congresso do ANDES-SN. O documento conta com 51 contribuições de seções sindicais e docentes sindicalizados. O Caderno de Textos já está disponível desde o dia 26 de novembro. O documento foi encaminhado por meio da Circular nº 243/13 (confira) para as Seções Sindicais, Secretarias Regionais e diretores do ANDES-SN.

O Caderno de Textos também estará disponível aos participantes do 33º Congresso no local do evento, e no site do ANDES-SN, aos demais sindicalizados.

Confira aqui o Caderno de Textos

Confira aqui o Anexo ao Caderno de Textos

*Com informações da Apruma

Fonte: ANDES-SN