Arquivo diários:13 de dezembro de 2013

Nova onda de protestos contra Ebserh mobiliza universidades em todo o país

Nova onda de manifestações contra a privatização dos hospitais universitários via Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares) nesta semana envolve universidades federais em diferentes regiões do país. Várias Seções Sindicais denunciam a introdução do tema na pauta das reuniões de fim de ano dos Conselhos Universitários. Outras se mobilizam, realizando debates ou participando de audiências públicas específicas sobre a adesão.

Os dirigentes da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Adunirio – Seção Sindical do ANDES-SN) alegam que alguns reitores se aproveitam das férias para aprovar a privatização dos hospitais universitários. “Nosso reitor Jutuca esperou o esvaziamento de fim de ano para marcar o Conselho Universitário para votar a mercantilização de nosso hospital universitário, por meio da Ebserh”, informa a nota de convocação para o ato público contra a Ebserh, com a Comissão dos Três Segmentos, previsto para ocorrer no dia 16 de dezembro, no auditório do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG).

A nota de convocação da Adunirio informa que a reitoria da universidade quer terceirizar o bandejão e que “a Ebserh permitirá o atendimento por planos privados de saúde e convênios com a iniciativa privada, além de poder direcionar a pesquisa e a extensão para interesses do mercado, não da comunidade acadêmica e muito menos da população”, denuncia. Diz ainda que “a única solução apresentada pela reitoria e pelo governo (PT/PMDB/PCdoB) é essa empresa, que não traz dinheiro novo e já surge com uma dívida com o Banco Mundial de R$ 5 milhões. Essa mesma empresa oferece cursos de capacitação no hospital privado Sírio-Libanês e administrará o programa Mais Médicos”.

No outro extremo do país, a Associação dos Docentes da Universidade Federal de Pelotas – Seção Sindical do ANDES-SN (ADUFPel) convida docentes, estudantes e técnicos para um ato público contra a privatização do Hospital Escola, nesta quarta-feira (11), às 9h, no Campus Capão do Leão. Haverá outra manifestação contra a Ebserh, na quinta-feira (12), às 17h, na Faculdade de Medicina. As duas atividades contam com a presença da professora da Universidade Federal Fluminense (UFF) e 2ª vice-presidente da Regional Rio de Janeiro, Elisabeth Vasconcelos Barbosa, e do representante da Frente nacional contra a Privatização da Saúde, Cláudio Augustin.

Os professores da Seção Sindical dos Docentes da Universidade Federal de Santa Maria (Sedufsm-SSind.) participaram, na segunda-feira (9), de uma audiência pública na qual foi definido que a “Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul deverá criar uma frente parlamentar para debater os impactos privatizantes da Ebserh nos HU”. Convocada pela Comissão de Segurança e Serviços Públicos da Assembleia, a audiência foi realizada no auditório da Seção Sindical com a participação do deputado estadual Jorge Pozzobom (PSDB), que presidiu a atividade.

Além dele, participaram da mesa, Rondon de Castro, presidente da Sedufsm; Rogério Silva, coordenador geral da Associação dos Servidores da UFSM (Assufsm); e Carlos Renan do Amaral, representante da Frente em Defesa do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) e ex-diretor da unidade hospitalar. Dentre outros encaminhamentos, foi aprovado que o deputado tucano deverá encaminhar um documento para o Conselho Universitário da UFSM, que se reúne nesta quinta-feira (12), com as ponderações feitas na audiência.

No Norte do país, a comunidade universitária da Universidade Federal do Pará (UFPA) participou da primeira audiência pública, realizada pela reitoria da instituição, na sexta-feira (6), sobre a adesão à Ebserh. Docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos lotaram o Centro de Convenções Benedito Nunes e têm se mobilizado contra as ameaças de privatização dos Hospitais Universitários João de Barros Barreto e Bettina Ferro de Souza.

A audiência contou com a participação de representantes da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Pará (Adufpa – Seção Sindical do ANDES-SN), do Diretório Central dos Estudantes (DCE), do Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino Superior (Sindtifes), do Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa), do Ministério Público Federal (MPF), além de dirigentes do Hospital Barros Barreto e das Secretarias Municipal (Sesma) e Estadual de Saúde (Sespa). A Adufpa convocou a categoria e demais segmentos universitários para uma manifestação contra a adesão para esta quarta-feira (11), na reitoria.

Na UFRJ, após um ato realizado no Conselho Universitário, estudantes, técnicos e professores barraram a adesão da universidade à Ebserh este ano. Na semana passada houve posse de 150 profissionais da saúde concursados pelo Regime Jurídico Único (RJU). Na Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e na Universidade de Brasília (UnB), a adesão comprovou que não houve nenhum tipo de melhoria e investimento nos hospitais.

Na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), uma reportagem do site de notícias G1 dá conta de que, no dia 2 de dezembro, estudantes e integrantes do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Pernanbuco (Sindufpe) ocuparam o prédio da reitoria após a direção da universidade atropelar o Conselho Universitário com a aprovação da mudança na gestão do Hospital das Clínicas, que passará a ser administrado pela Ebserh. Segundo o G1, os manifestantes são contra a adesão e alegam que a medida retira completamente a autonomia da UFPE em relação ao HC.

Ainda segundo a reportagem, em uma votação polêmica e apressada, o Conselho Universitário aprovou por maioria que o HC irá aderir à Empresa. “A gente entende que essa votação não foi consolidada. Não houve uma discussão sobre o assunto, que é muito polêmico. Eu, como conselheiro, não consegui votar. Na minha opinião, essa reunião do Conselho Universitário não vale”, afirmou ao G1 o presidente da Adufepe, Seção Sindical do ANDES-SN, José Luís Simões.

Fonte: ANDES-SN