Arquivo diários:7 de março de 2013

Lançamentos marcam abertura do 32º Congresso do ANDES-SN

4ª edição revisada e atualizada no Caderno 2, revista Universidade e Sociedade, nova logomarca do Sindicato e campanha de filiação 2013 foram apresentadas aos congressistas.

Durante a plenária de abertura do 32º Congresso do ANDES-SN, iniciado em 4 de março no Rio de Janeiro, o Sindicato Nacional realizou o lançamento da 4ª edição revisada e atualizada do Caderno 2, que traz a proposta da entidade para a Universidade brasileira, e da edição 51 da revista Universidade e Sociedade, que aborda o tema “Crise, políticas públicas e greve”.

Na ocasião, mais de 500 participantes, entre delegados e observadores, conheceram as novas publicações, que foram apresentadas pelas comissões. O lançamento da revista, que traz um retrato das lutas e enfrentamentos da categoria docente, foi feito pela comissão coordenadora, composta pelos professores Rondon de Castro (Sedufsm), João Carneiro (Adufpa) e Ana Estevão (Adunifesp). A nova logomarca do ANDES-SN e a campanha de filiação 2013, coordenada pelo encarregado de Imprensa e Divulgação do Sindicato, Luiz Henrique Schuch, também foram apresentadas aos congressistas.

Durante a plenária de abertura, a presidente do ANDES-SN, Marinalva Oliveira, enfatizou a importância da atualização do Caderno 2. Para Marinalva, um desafio constante do movimento docente é identificar a realidade que muda a cada instante no mundo do trabalho e que atinge também as universidades.

Caderno 2

A atualização do Caderno 2, que fortalece a proposta do ANDES-SN para a universidade brasileira, foi votada e iniciada no 56º Conad, realizado em Maringá (PR), em julho de 2011. No 57º Conad, realizado em junho de 2012 na Parnaíba (PI), o texto-documento sobre Ciência e Tecnologia sofreu algumas alterações e foi aprovado por unanimidade. O último Conad finalizou o ciclo de atualizações do Caderno 2.

A formulação que deu origem a versão atualizada do Caderno 2 foi elaborada por professores do ensino superior de todo o país, a partir de discussões sobre a reestruturação da universidade realizadas desde 1981, em simpósios, reuniões, assembleias e congressos internos. A primeira versão da publicação foi aprovada em junho de 1982, pelo V Conad, realizado em Belo Horizonte.

“Universidade e Sociedade”

A edição nº 51 da revista aborda o tema “Crise, políticas públicas e greve”. Dentro do tema principal da publicação, que tem periodicidade semestral, artigos falam sobre a greve histórica de 2012. A edição abordou ainda questões como “Educação e trabalho docente”. Na seção de debates, o movimento estudantil, a aposentadoria, o serviço social e a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) estão em destaque, bem como a seção “palavras de poeta”.

Campanha de Filiação 2013 e nova logomarca

Com o mote “formiga”, a campanha convida cada pessoa a construir o Sindicato da categoria. A nova logomarca do ANDES-SN, mais limpa e moderna, também foi apresentada, integrando de maneira mais clara a filiação à CSP-Conlutas. A campanha terá duração de nove meses, com o envio gradual de materiais que podem ser reproduzidos ou adaptados, localmente, pelas seções sindicais.

Saiba mais sobre a Campanha aqui.

Fonte: ANDES-SN

Delegados do 32º Congresso aprovam Centralidade da Luta para 2013

Eixo irá pautar as lutas do Sindicato Nacional para 2013

A plenária que debateu o Tema 2 definiu a Centralidade da Luta do Sindicato Nacional e de suas Seções Sindicais para o ano de 2013. O texto-resolução 5 (TR-5) “Centralidade da Luta”, da diretoria do ANDES-SN  foi aprovado com modificações pelos delegados do 32º Congresso.  Foram apresentadas 14 propostas de alteração do texto, aprovadas nos grupos mistos.

Os congressistas entenderam que era importante acrescentar o caráter gratuito da educação, já apontado como público no texto original.Também afirmaram a necessidade de assinalar a expressão “salários dignos” no TR-5.

“Estamos neste momento sofrendo ataques que visam claramente descontruir o caráter público e gratuito da Educação, assim como da Ciência e Tecnologia, a partir de uma visão que reduz os temas dessas duas áreas a um mero insumo do modelo econômico em vigor. Ou seja, só tem importância aquilo que agrega valor ao sistema capitalista”, explica Marinalva Oliveira, presidente do ANDES-SN.

Para entrar nesse enfrentamento, de acordo com Marinalva, a carreira, as condições de trabalho, salário numa órbita e a organização da categoria no seu sindicato e inserido numa frente de unidade classista, são essenciais para a luta. “Os delegados compreenderam isso e aprovaram o eixo que irá nortear as ações do ANDES-SN em 2013”, concluiu.

A redação final do texto que regerá a Centralidade da Luta do Andes-SN ao longo deste ano foi assim definida:

“Defesa do caráter público e gratuito da educação, condições de trabalho, salários dignos e carreira para os docentes, ampliando a organização da categoria no ANDES-SINDICATO NACIONAL e a unidade classista dos trabalhadores”.

*Com colaboração de Silvana Sá

Fonte: ANDES-SN

ANDES-SN apresenta Campanha de Filiação 2013 e nova logomarca

imp-ult-74005162

Durante a abertura do 32º Congresso, o ANDES-SN apresentou uma nova campanha de comunicação para ampliação das filiações. Com o mote “formiga”, a campanha convida cada um a construir o Sindicato da categoria. Uma nova logomarca para o Sindicato, mais limpa e moderna, também foi apresentada, integrando de maneira mais clara a filiação à CSP-Conlutas.

De acordo com o 1º vice-presidente da entidade, Luiz Henrique Schuch, a campanha levará nove meses, com envio gradual de materiais que podem ser reproduzidos ou adaptados, localmente, pela seções sindicais.

“As experiências de luta mais recentes reascenderam entre os professores a percepção de sua identidade enquanto categoria, para defender a universidade pública reforçando o sentido de sua participação no sindicato, o ANDES-SN”, explica Schuch.

Segundo ele, é nesse movimento que se insere a campanha de sindicalização de 2013, que e tem como público alvo o conjunto dos professores das Instituições de Ensino Superior. “Buscamos uma linguagem leve e direta, sem secundarizar o conteúdo. É um chamamento à participação com protagonismo e democrático”, completa.

O 1º vice-presidente do ANDES-SN lembra que será necessária um grande engajamento das seções sindicais para o sucesso da campanha. “Como é uma campanha gradual, é necessário que todas as seções sindicais abracem a ideia e participem ativamente, dando ampla divulgação às peças que serão distribuídas”, comenta. Ele ressaltou a necessidade de que a campanha siga nacionalmente a mesma cadência para ter maior eficácia.

Junto com o material da campanha será enviado um roteiro para aplicação da mesma.

* Com colaboração de Elisa Monteiro (Adufrj – SSind).

Fonte: ANDES-SN