Arquivo mensais:janeiro 2013

ANDES-SN manifesta solidariedade às vítimas da tragédia de Santa Maria

NOTA DE PESAR – O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN), diante dos infaustos acontecimentos ocorridos na cidade de Santa Maria (RS), na madrugada de domingo, dia 27 de janeiro, em que pereceram mais de 230 jovens, dos quais mais de cem eram estudantes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), e mais de 100 ficaram feridos, manifesta os sentimentos de toda a categoria de docentes de tristeza e solidariedade às famílias que perderam seus entes queridos, e a toda comunidade universitária da UFSM, especialmente ao segmento dos estudantes por essas perdas irreparáveis. Exige ainda, neste momento de dor, juntamente com todos os brasileiros, ações efetivas do poder público para que tragédias como essa não se repitam, garantindo-se a todos brasileiros e brasileiras os direitos à educação, à saúde e à segurança para uma vida digna e humana.

ANDES-SN divulga o Caderno de Textos do 32º Congresso

imp-ult-2066303767

 

O Caderno de Textos do 32º Congresso do ANDES-SN já foi sistematizado e encaminhado pela secretaria do Sindicato Nacional às seções sindicais. O material irá subsidiar os debates nas assembleias de base e também os trabalhos durante o encontro, no qual os docentes definirão o plano de lutas da entidade para 2013.

Além dos textos elaborados pela diretoria do ANDES-SN, o documento recebeu mais 20 contribuições de seções sindicais e docentes sindicalizados, nos mais diversos temas como a luta por recursos para a educação pública, democratização da mídia no Brasil, injustiça tributária e também assuntos relacionados às questões organizativas e financeiras da entidade. Leia aqui o Caderno de Textos.

Anexos

As contribuições que forem encaminhadas ao Sindicato Nacional entre os dias 11 de janeiro e 10 de fevereiro irão compor o Anexo ao caderno, que deve ser publicado no dia 21 de fevereiro.

Delegados

Segundo planilha divulgada nesta quarta-feira (23) pela secretaria do ANDES-SN, mais de 600 delegados poderão se inscrever para participar do 32º Congresso, que deve contar ainda com a presença de observadores das seções sindicais e representantes de entidades convidadas. Veja aqui a Planilha com o número de delegados por seção sindical.

Local

O 32º Congresso do ANDES-SN acontece entre os dias 4 e 9 de março, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). O encontro, que está sendo organizado junto com a Associação dos Docentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Adufrj – Seção Sindical), terá como tema central “Sindicato Nacional na luta pelo projeto de educação pública e de condições de trabalho”.

Cartaz versão PDF – clique aqui

Fonte: ANDES-SN

ANDES-SN realiza seu 32º Congresso Nacional em março, no Rio de Janeiro

A cidade do Rio de Janeiro será a sede do 32º Congresso Nacional do Sindicato Nacional dos Docentes das Entidades de Ensino Superior (ANDES-SN) entre os dias 4 e 9 de março. O encontro, que está sendo organizado junto com a Associação dos Docentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Adufrj – Seção Sindical), terá como tema central “Sindicato Nacional na luta pelo projeto de educação pública e de condições de trabalho”.

O congresso anual é a instância máxima deliberativa do ANDES-SN, espaço onde delegados das seções sindicais de todo o país decidem os planos de luta do Sindicato Nacional para o período definem as ações que viabilizarão tais políticas. A expectativa é que o encontro reúna cerca de 400 delegados, além de observadores e convidados.

O secretário geral do ANDES-SN, Márcio de Oliveira, diz que um dos grandes desafios pautados para o 32º Congresso é “definir políticas e ações que permitam dar continuidade à grande mobilização construída em 2012, tanto no âmbito federal quanto nos estados, e à articulação no conjunto dos trabalhadores”.

Oliveira observa que durante o encontro, os docentes discutirão tanto os temas voltados para as questões específicas do movimento docente, como pautas mais gerais que apontarão as formas de intervenção da entidade nas lutas conjuntas com outros movimentos.

“Além dos planos do Setor das Instituições Federais, Estaduais e Particulares de Ensino, abordaremos também questões como a continuidade da luta pela aplicação imediata de 10% do PIB para a Educação pública, os programas dos governos em relação às políticas educacionais, a democratização da comunicação, a Ebserh e a Funpresp”, pontua.

O diretor do ANDES-SN lembra também que o debate sobre as questões de gênero, diversidade sexual, etnia, mobilidade urbana, política agrária, ciência e tecnologia estão pautados no Caderno de Textos, que irá direcionar os debates durante o Congresso.

De acordo com o secretário geral do Sindicato Nacional, o caderno já recebeu mais de 20 contribuições de seções sindicais e sindicalizados, além dos textos encaminhados pela diretoria. O documento está em fase de sistematização e deve ser publicado e amplamente divulgado já na próxima semana.

Prazos

As contribuições que chegarem entre os dias 11 de janeiro e 10 de fevereiro irão compor o Anexo ao caderno, que deve ser publicado no dia 21 de fevereiro.

Eventos no Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro já abrigou o 20º Congresso, em 2001, organizado pela Seção Sindical dos Docentes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Asduerj – Seção Sindical). Também foi a Cidade Maravilhosa que sediou dois Congressos Extraordinários da entidade, em 1987 e 1988.

Fonte: ANDES-SN

Governo sanciona lei que consolida desestruturação da carreira docente nas IFE

A presidente Dilma Rousseff sancionou, na última semana de 2012, o texto da Lei que consolida a desestruturação da carreira docente nas Instituições Federais de Ensino (veja aqui). O projeto, que contém elementos do simulacro de acordo firmado entre o Executivo e o Proifes, foi aprovado de forma sumária tanto na Câmara quanto no Senado, sob pressão do pedido de urgência apresentado pelo governo.

Apesar de ter reafirmado recentemente que a Educação é “prioridade absoluta” de seu governo, ao sancionar tal lei Dilma Rousseff não demonstra preocupação com a qualidade das condições de trabalho, ensino e aprendizagem nas Instituições Federais de Ensino.

Marinalva Oliveira, presidente do ANDES-SN, ressalta que a greve dos docentes das IFE, que durou cerca de quatro meses, serviu para expor para a sociedade essa contradição entre discurso e prática do governo, dando visibilidade às condições precárias em quase todas as IFE, principalmente com a expansão via Reuni.

“Durante esse ano ficou explicitado que não há interesse do governo em garantir uma universidade de qualidade para a população brasileira. Se tivesse, atenderia a reivindicação dos docentes das Instituições Federais de Ensino (IFE) por uma carreira estruturada, que valorize a experiência e qualificação, e também por melhorias nas condições de trabalhos nessas instituições”, observa.

Marinalva destaca que com a greve foi possível fazer um debate sobre a educação que o governo quer, baseada na reprodução de mão de obra barata para o mercado, e no sentido contrário à indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.

A presidente do ANDES-SN destaca que os reflexos da forte mobilização dos docentes ainda ecoam, como demonstram as recentes reportagens veiculadas no jornal O Globo, criticando a proporção estudante/professor estabelecida pelo Reuni (leia aqui) e a tentativa do Governo de excluir a área de Ciências Humanas do programa Ciência sem Fronteiras (leia aqui).

Além de jogar luz sobre as condições de trabalho e ensino nas IFE, a greve dos docentes serviu também para tirar o Executivo de sua zona de conforto. “Com a força da nossa greve, que se expandiu para os demais setores da educação e também do funcionalismo federal o governo se viu obrigado a mudar a posição intransigente de não negociar com categorias em greve e rever sua política de reajuste zero para os próximos anos”, avalia a presidente do Sindicato Nacional.

Greve é destaque na Retrospectiva 2012 da grande imprensa

A importância da greve protagonizada pelos docentes das IFE em 2012 na conjuntura do país foi destaca na Retrospectiva 2012, produzida por vários veículos da grande imprensa.  Entre as várias menções feitas à luta pela melhoria na qualidade da Educação Federal, está o álbum de fotos publicado pelo portal de notícias UOL, destacando através de imagens os principais momentos da paralisação, que teve início em 17 de maio e se estendeu até 21 de setembro. Confira aqui.

Fonte: ANDES-SN