Arquivo diários:13 de agosto de 2012

Docentes da Unifesp realizam nova assembleia reivindicando reabertura das negociações

Os docentes da Unifesp voltam a se reunir nesta terça-feira (14), às 11 horas, para debater os próximos passos da greve da categoria. Os professores reivindicam a reabertura das negociações,  interrompidas unilateralmente pelo governo federal, após assinar um acordo com uma entidade que não tem representatividade junto a categoria, o Proifes. A plenária acontece no Anfiteatro A, do campus São Paulo da Unifesp (Rua Botucatu, 740, subsolo).

A rejeição massiva da proposta do governo por assembleias docentes de mais de cinquenta universidades federais e a deliberação pela continuidade da greve, que já dura quase três meses, demonstram que o descontentamento da categoria continua bastante alto. Vale lembrar que a responsabilidade por uma paralisação tão longa é do próprio governo que demorou cerca de 60 dias para se reunir com os representantes dos professores.

A assembleia deve debater a formulação de uma contraproposta do Comando Nacional de Greve do ANDES-SN ao governo e a formação de uma Frente Parlamentar em defesa da reabertura das negociações. Além disso, a plenária discutirá a intensificação das atividades de greve, como a organização de manifestações nos próximos dias.

A paralisação dos professores do ensino superior federal começou no dia 17 de maio e atinge 55 das 59 universidades. A principal reivindicação é a reestruturação da carreira docente, uma das mais desprestigiadas dentro do serviço público federal. Além dos docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos de diversas instituições também estão em greve, demonstrando um profundo descontentamento com as atuais condições de educação e trabalho.

Assembleia Geral dos Docentes da Unifesp
Quando: Terça-feira (14), às 11 horas
Onde: Anfiteatro A, do campus São Paulo da Unifesp (Rua Botucatu, 740, subsolo)
Pauta:
1) Informes
– Comando Nacional
– CLG (incluindo encontro com parlamentares e reunião com reitor)
– Comando unificado intercategorias
– CLG dos campi
2) Análise da situação atual e contraproposta
3) Encaminhamentos
Participe!

Ato em frente ao MEC cobra audiência com ministro e reabertura de negociação

Representantes do Comando Nacional de Greve (CNG) do ANDES-SN realizaram na manhã desta segunda-feira (13) um ato em frente ao Ministério da Educação (MEC), para cobrar do ministro Aloizio Mercadante a reabertura de negociação com os docentes das Instituições Federais de Ensino, em greve há 89 dias.

O CNG enviou na última semana pedido de audiência tanto a Mercadante quanto à Miriam Belchior, do Ministério do Planejamento. Durante sua fala no ato, Marinalva Oliveira, presidente do ANDES-SN, informou que fez contato telefônico com o MEC e que não há previsão de quando os docentes serão recebidos. “O chefe de gabinete do ministro da Educação nos disse, por telefone, que não há agenda para a audiência e nem previsão de data para que a mesma ocorra”, comunicou.

Marinalva destacou que a greve segue forte, em resposta à forma autoritária e unilateral com que o governo rompeu as negociações com a categoria. “Esta será uma semana de intensa mobilização tanto em Brasília quanto nos estados. Temos disposição para negociar e vamos mostrar que não concordamos com a atitude do governo. A greve continua”, disse.

Os Comandos Nacionais de Greve dos Estudantes e do Sinasefe também participaram da manifestação, que faz parte do calendário de atividades deliberado pelo CNG do ANDES-SN para a semana do dia 13 a 17 de agosto.

Além das dos atos em Brasília, os Comandos Locais de Greve deverão procurar deputados e senadores nos estados para argumentar em favor da reabertura das negociações, já que o governo decidiu unilateralmente assinar o acordo com uma entidade com pouca representatividade na categoria. Nesses contatos, que também estão sendo feitos pelo CNG, será defendida uma reunião para a criação da Frente Parlamentar pela reabertura das negociações.

Entre os dias 13 e 14, deverá ser realizada nova rodada de assembleias, cujo resultado deve ser enviado ao CNG até às 20h do dia 14. O encaminhamento do CNG é que os docentes avaliem e apontem o que pode ser priorizado e/ou flexibilizado no item de pauta reestruturação da carreira. Confira aqui os encaminhamentos.

Na agenda de atividades nacionais estão ainda, participação na Marcha a Brasília, no dia 15, em conjunto com as demais categorias do funcionalismo federal e com o Comando Nacional de Greve dos Estudantes; e no dia 17 Plenária do Fórum Nacional das Entidades dos SPF.

Marcha a Brasília

Na quarta-feira, dia 15 de agosto, os docentes das IFE deverão se juntar as demais categorias em greve e ao Comando Nacional de Greve dos Estudantes (CNGE) e realizar, em Brasília, uma nova marcha. Todos juntos para mostrar a indignação dos servidores públicos contra o desrespeito do governo com os servidores e o descaso com as políticas sociais.

Fonte: ANDES-SN

Conselho Universitário aprova nova moção em apoio a mobilização dos docentes

A última reunião ordinária do Conselho Universitário da Unifesp, órgão máximo de deliberação da Instituição, aprovou uma nova moção reiterando o apoio a mobilização docente. A categoria está em greve nacionalmente desde o dia 17 de maio e reivindica a reabertura das negociações, encerradas unilateralmente pelo governo federal em 1º de agosto. A moção do Consu, aprovada em plenária realizada no dia 08 de agosto, ainda “apela para a busca de um novo acordo que possibilite o fim da greve”. Amanhã, terça-feira (14), às 11 horas, os docentes da Unifesp se reúnem no Anfiteatro A, do campus São Paulo, para mais uma Assembleia Geral. Clique em leia mais e confira a íntegra da moção.

MOÇÃO DE APOIO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO – UNIFESP A MOBILIZAÇÃO DOS DOCENTES

O Conselho Universitário da Universidade Federal de São Paulo reunido em sessão ordinária, nesta data, considerando a importância da imediata retomada das atividades universitárias apela para a busca de um novo acordo que possibilite o fim da greve.

São Paulo, 08 de agosto de 2012.

Prof. Dr. Walter Manna Albertoni
Presidente do Conselho Universitário