Arquivo diários:30 de julho de 2012

Assembleia dos docentes da Unifesp rejeita segunda proposta do governo e greve continua

Na última sexta-feira (27), os docentes da Unifesp reunidos em Assembleia Geral no campus São Paulo rejeitaram a segunda proposta do governo à categoria e aprovaram a continuidade da greve. A deliberação segue orientação do Comando Nacional de Greve do ANDES-SN e acompanha a posição de quase quarenta assembleias de outras instituições. A decisão foi tomada por cerca de 70 votos a favor e apenas 1 contra. Até o momento, apenas a plenária da UFSCar teria aprovado a proposta do governo. A greve começou no dia 17 de maio e atinge 57 das 59 universidades federais.

A avaliação geral é de que tal proposta não só não reestrutura a carreira como reivindicam os professores, como em muitos aspectos desestrutura a carreira atual. Além disso, muitos pontos polêmicos – alguns considerados inegociáveis – contidos na primeira proposta do governo, apresentada em 13 de julho, como a forma de avaliar o trabalho docente e quais seriam os critérios para a progressão na nova carreira, seriam decididos por um Grupo de Trabalho que funcionaria nos próximos meses. A proposta foi considerada por alguns docentes como um “cheque em branco” para o governo decidir tais questões.

Representantes dos docentes e do governo devem se reunir na próxima quarta-feira (01), às 21 horas, quando devem continuar as negociações. A próxima Assembleia Geral dos Docentes da Unifesp será realizada na segunda-feira (06), às 11 horas, no Anfiteatro A, do campus São Paulo (rua Botucatu, 740, subsolo). Até lá, os professores devem realizar assembleias locais nos campi da Unifesp.

Confira fotos da Assembleia aqui.

Confira algumas matérias publicadas sobre a continuidade da greve na imprensa:
1. http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2012-07-27/professores-da-unifes…

2. http://noticias.r7.com/educacao/noticias/em-votacao-professores-da-unife…

3. http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/07/professores-da-unifesp-dec…

4. http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2012/07/professores-da-unifesp-dec…

5. http://www.dgabc.com.br/News/5971394/ufabc-e-unifesp-decidem-continuar-c…

6. http://www1.folha.uol.com.br/educacao/1126985-em-assembleia-professores-…

7. http://www1.folha.uol.com.br/educacao/1126985-em-assembleia-professores-da-unifesp-e-da-ufabc-decidem-manter-greve.shtml

8. http://educacao.uol.com.br/noticias/2012/07/27/docentes-da-ufabc-e-da-un…

9. http://www.viomundo.com.br/politica/marinalva-oliveira-nao-ha-perspectiva-de-fim-da-greve-nas-universidades.html

10. http://www.rodrigovianna.com.br/plenos-poderes/impasse-deve-continuar-na-greve-das-universidades-federais.html#more-14601

11. http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/explicando-a-greve-dos-professores

Funcionalismo federal realiza ato unificado nesta terça-feira (31)

O funcionalismo federal realiza mais um Dia Nacional de Luta nesta terça-feira, 31 de julho. De norte a sul do país estão previstos atividades e mobilizações. Em São Paulo um ato unificado reunirá os mais diversos segmentos dos servidores públicos federais, além de estudantes e trabalhadores da iniciativa privada. O objetivo é aumentar a pressão sobre o governo da presidente Dilma.

A concentração será a partir das 14 horas, no vão central do MASP. De lá os manifestantes sairão em caminhada até o escritório da Presidência da República, em frente à estação de metrô Consolação. Na ocasião será protocolado um documento cobrando respostas à pauta de reivindicação dos SPFs.

Com o mote “Chega de enrolação, negocia Dilma!”, os trabalhadores irão parar os grandes centros em todo o país e dar o seu recado. Vale ressaltar, que depois de três meses, e oito rodadas de negociações infrutíferas, os servidores não tiveram alternativa e deflagraram a greve.

A greve do funcionalismo segue forte, apesar das tentativas do governo federal de intimidar e dividir o movimento. A falta de habilidade da Presidente Dilma fica cada vez mais evidente na postura intransigente, desrespeitosa e autoritária adotada com a categoria, em particular com os setores que aderiram ao processo grevista.

No dia 31/07, também, está agendada uma reunião do fórum das entidades nacionais dos SPFs com a Secretaria de Relações do Trabalho (SRT) do MPOG e espera-se a apresentação de uma proposta efetiva para a categoria.

A pauta unificada do funcionalismo reivindica reajuste de 22,08%, manutenção das 30 horas sem redução de salário, concurso público, melhores condições de trabalho, mais verbas para o setor público, não à privatização e suspensão de projetos que retiram direitos dos servidores.

O ato na capital paulista irá reunir professores e técnicos administrativos, judiciário, funcionários do Banco Central, Saúde Federal, Agências Reguladoras e DNPM, Incra, Ministério do Trabalho e Emprego, IBAMA, entre outros. A atividade também conta com o apoio dos estudantes e trabalhadores da GM (ameaçados de demissão).

Fonte: Sindsef-SP