Arquivo diários:20 de junho de 2012

Começa nesta quinta-feira (21) o 57º Conad do ANDES-SN

Professores de todo o país participam do encontro, que dará posse à nova diretoria do Sindicato Nacional

Começa nesta quinta-feira (21), na cidade de Parnaíba (PI) a 57ª edição do Conselho do ANDES-SN (Conad). O evento acontece até o dia 24 e deve reunir cerca de 250 docentes, entre delegados e observadores, de todo o país.

A abertura do encontro será marcada pela posse da nova diretoria do ANDES-SN, que estará à frente do Sindicato Nacional durante o biênio 2012-2014. O 57º Conad, que irá atualizar o Plano de Lutas dos docentes, aprovado no 31º Congresso do ANDES-SN em janeiro deste ano, votar as contas do Sindicato Nacional e aprovar o orçamento para o próximo período.

Além da posse da nova diretoria, durante o evento será lançada a 50ª edição da Revista Universidade e Sociedade e o Caderno de Comunicação do ANDES-SN, com o resultado de uma pesquisa sobre a comunicação realizada nacionalmente junto às seções sindicais.

O 57º Conad terá como tema “Defesa da Universidade Pública e do ANDES-SN, Autonomia, Democracia, Financiamento e Condições de Trabalho” e a expectativa é que a realização do evento permita trazer tais questões também para a pauta local da cidade de Parnaíba.

O evento acontece num momento muito particular para o movimento docente, uma vez que os professores federais realizam uma das maiores greves da história (iniciada em 17 de maio) e que já conta com a adesão mais de 50 instituições de ensino. A mobilização por melhores condições de trabalho e ensino também se estende às Universidades Estaduais como no Rio Grande do Norte (UERN) e Rio de Janeiro (UERJ), que já estão em greve, e no Piauí (UESPI), que deve paralisar as atividades em agosto.

A atual presidente do Sindicato Nacional, Marina Barbosa, passa o cargo para sua sucessora, Marinalva Oliveira, que estará à frente do Sindicato Nacional para biênio 2012-2014, na quinta-feira (21), na Plenária de Abertura do 57º Conad, a partir das 10h.

Marinalva Silva Oliveira, mestre e doutora em Psicologia, é professora e pesquisadora da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Suas pesquisas estão centradas nos desafios da inclusão escolar e social de pessoas com deficiência, especialmente crianças com síndrome de Down.

Antes de atuar no ANDES-SN, onde foi 2ª vice-presidente da regional Norte II na gestão 2005/2006, e presidente da Sindufap – Seção Sindical de 2009 a 2011, Marinalva Oliveira participou ativamente no movimento sindical dos bancários.

Fonte: ANDES-SN

Professores do CNG e da UNB fazem protesto em frente ao Planejamento

Apesar de o Ministério do Planejamento ter desmarcada a reunião que seria realizada na manhã desta terça-feira (19) foi mantido o ato público em frente ao prédio do ministério. Por quase três horas, docentes do Comando Nacional de Greve e da Universidade de Brasília, além de estudantes, técnico-administrativos e dirigentes de outras categorias, protestaram, com muita música e humor, contra o adiamento da reunião.

A presidente do ANDES-SN, Marina Barbosa, afirmou que, apesar das medidas protelatórias do governo, a greve continua forte. “Eles acharam que iam quebrar nosso movimento, mas a cada dia mais docentes entram em greve, E agora ganhou o reforço dos companheiros da Fasubra e do Sinasefe”, argumentou. “O nosso desafio agora é ampliar o movimento e arrancar uma proposta do governo”, completou.

O representante do Sinsafe, David Lobão, criticou o ministério do Planejamento pelo atraso. “Infelizmente, pelo histórico do governo, não podemos acreditar que o adiamento de hoje foi para que a proposta seja estudada melhor”, argumentou. Já a coordenadora-geral da Fasubra Janine Teixeira lamentou o fato de o governo marcar e desmarcar reuniões e fez um apelo para que o as reivindicações dos técnico-administrativos sejam negociadas.

Ato musical

Com uma trilha musical especialmente escolhida pelos professores Ciro, da Universidade Federal de Alagoas, e Marcos Vinicius, da Universidade Federal de Juiz de Fora, o ato desta terça-feira (19) foi embalado por músicas de protesto que iam do samba ao mangue beat e ao rap. “Procuramos incluir todos os ritmos”, conta Marcos Vinicius. A lista incluía nomes como Bezerra da Silva, Titãs, Paralamas, Cabruera, Chico Science, entre outros.

Estudantes da Universidade de Brasília também deram uma contribuição musical. Sob a regência do maestro David Junker, professor da UnB, o coral dos estudantes cantou músicas como “Natureza Distraída” e “Riacho do Navio”.

Fazendo um trocadilho com a primeira música, o professor Ciro fez um apelo para que a “natureza distraída do governo seja humanizada”. “Mas se não tiver um plano de carreira, vamos bater no Congresso Nacional, aqui ao lado, em busca de nossos direitos”, avisou.

Ao final do ato, Marina Barbosa agradeceu a participação dos professores, estudantes e técnicos da UnB na manifestação. “São atividades como essa que fortalecem e sustentam a grande greve que estamos realizando. Demos hoje mais uma demonstração da nossa capacidade de força e resistência”, afirmou. Marina lembrou que as soluções para a melhoria da educação brasileira estão nas propostas da sociedade e não nas “ações midiáticas do governo”.

Marina lembrou que nesta quarta-feira (20) será realizado um grande ato, no Rio de Janeiro, como parte das atividades do Rio +20. Também será realizada uma grande coluna dos docentes e técnico-administrativos e estudantes em greve juntamente com as categorias dos SPF na Marcha dos Povos, que marcará o final da Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável.

Fonte: ANDES-SN