Arquivo diários:30 de maio de 2012

Assembleia Geral aprova por unanimidade continuidade da greve docente na Unifesp

Em greve desde a última semana, os docentes da Unifesp realizaram, nesta terça-feira (29), uma Assembleia Geral para deliberar a continuidade da paralisação e os próximos passos do movimento. A plenária aconteceu em São Paulo e contou com a presença de cerca de 120 docentes de todos os campi da Instituição, que aprovaram por unanimidade a continuidade da greve. A paralisação nacional docente foi deflagrada no dia 17 de maio e já atinge 47 das 59 universidades e institutos federais. O movimento reivindica a valorização da carreira da categoria, uma das mais desprestigiadas dentro do serviço público federal.

Os informes dos professores dos seis campi da Unifesp (Baixada Santista, Diadema, Guarulhos, Osasco, São José dos Campos e São Paulo) demonstraram a força da greve, que para a grande maioria das atividades da Instituição. Os docentes relataram ainda que a adesão à paralisação vem aumentando progressivamente, à medida que o diálogo e a mobilização avança.

Os estudantes também estão mobilizados e já decretaram greve nos campi de Diadema, Baixada Santista e São Paulo. Além disso, o campus Guarulhos já vive uma greve estudantil há dois meses, reivindicando melhores condições de educação e políticas de acesso e permanência, e os alunos de Osasco aprovaram indicativo e também podem aderir à paralisação. Nesta quinta-feira (31), os discentes da Unifesp realizarão uma Assembleia Geral para debater a situação estudantil da Instituição e deliberar posições conjuntas aos campi. A plenária acontece no campus São Paulo, às 14 horas. Os servidores técnico-administrativos também estudam realizar uma greve nacional a partir de junho.

Docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos da Unifesp realizaram uma manifestação conjunta na avenida Paulista, na última segunda-feira (28). Cerca de 300 pessoas se concentraram no vão-livre do MASP e marcharam até a Praça do Ciclista. O protesto ocorreu no mesmo dia em que aconteceria uma reunião entre os docentes e o Ministério do Planejamento, mas que acabou cancelada sem justificativa. A próxima Assembleia Geral dos docentes da Unifesp será realizada na segunda-feira, 04 de junho.

Confira fotos da Assembleia Geral desta terça-feira (29) aqui.

Ato na avenida Paulista fortalece mobilização docente na Unifesp

Cerca de 300 docentes, estudantes e servidores técnico-administrativos da Unifesp protestaram nesta segunda-feira (28) na Paulista em defesa da educação pública. O ato teve início no vão-livre do MASP ao meio-dia e os manifestantes marcharam até a Praça do Ciclista, no final da avenida. As palavras de ordem pediam expansão da universidade pública com qualidade, melhores condições de trabalho e estudo, e valorização da carreira docente, a principal pauta da greve nacional docente iniciada no dia 17 de maio.

A manifestação ocorreu em um momento ímpar para a Unifesp, em que toda a Instituição está bastante mobilizada. Pela primeira vez desde o início da expansão da universidade, os docentes dos seis campi estão em greve, aderindo à paralisação nacional que reivindica do governo a abertura de negociações efetivas sobre mudanças na carreira da categoria.

Os estudantes, por sua vez, decretaram greve nos campi de Diadema, Baixada Santista e São Paulo. Além disso, o campus Guarulhos já vive uma greve estudantil há dois meses, reivindicando melhores condições de educação e políticas de acesso e permanência, e os alunos de Osasco aprovaram indicativo também podem aderir à paralisação. Nesta quinta-feira (31), os discentes da Unifesp realizarão uma Assembleia Geral para debater a situação estudantil da Instituição e deliberar posições conjuntas aos campi. Os servidores técnico-administrativos estudam realizar uma greve nacional a partir de junho.

Ao mesmo tempo em que ocorria o ato em São Paulo, docentes de universidades e institutos federais realizaram um ato, com cerca de 300 pessoas em Brasília. O protesto ocorreu em frente ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, onde deveria estar ocorrendo naquele momento mais uma reunião da negociação sobre a carreira docente. Entretanto, o encontro foi desmarcado sem justificativa. O número de universidades e institutos federais em greve já chega a 47 e até o final da semana poderá crescer.

Uma Assembleia Geral dos docentes aprovou a continuidade da greve e outras deliberações nesta terça-feira (29). A plenária aconteceu no Anfiteatro A, do campus São Paulo, e contou com cerca de 120 docentes dos seis campi. A continuidade da paralisação foi aprovada por unanimidade.

Confira as fotos da manifestação aqui.