Arquivo diários:16 de agosto de 2011

Assembleias debatem construção de greve docente na Unifesp

Docentes de quatro campi da Unifesp realizaram assembleias na última semana para debater as negociações salariais e de carreira entre o ANDES-SN e o Ministério do Planejamento. A construção de uma greve, caso o Governo não apresente uma proposta de valorização do trabalho docente, foi aprovada por um número representativo de professores da Baixada Santista e Diadema. Já Guarulhos e São Paulo realizam uma assembleia conjunta nesta quarta-feira (17), na Vila Clementino, pois tiveram baixa presença nas reuniões da semana passada. Novas assembleias também acontecem em Diadema e Santos na próxima quinta-feira (18), com o intuito de avaliar as negociações desta semana.

Em reunião do Setor das Federais do ANDES-SN, realizada no último dia 13 em Brasília, representantes de quase 30 universidades aprovaram um indicativo de greve nacional dos docentes. Durante esta semana, as Seções Sindicais realizam novas assembleias por todo país, muitas já deliberando o início da greve.

Negociação com Governo continua, mas perspectiva é de greve nas federais

Em reunião na noite de ontem (15), o Ministério do Planejamento reafirmou sua proposta, apresentada na semana passada, de incorporação das GEMAS ao vencimento base. A medida é uma reivindicação histórica dos docentes, entretanto só traria ganhos reais a quem recebe adicional por anuênio, insalubridade ou periculosidade. Além disso, o Governo propôs adiar a correção das distorções geradas no momento da criação da classe de professor associado e, em troca, reajustar as iniciais das classes, contemplando, assim, uma parcela maior da categoria. O representante do Ministério, Duvanier Paiva, afirmou querer construir um consenso ainda esta semana, já que é necessário fechar a planilha do orçamento até o final de agosto.

Os representantes do ANDES explicitaram ao Governo o descontentamento da categoria com as propostas apresentadas até o momento e o indicativo de greve nacional aprovado no último dia 13. A presidente da entidade, Marina Barbosa, afirmou ser necessária uma proposta que incorpore gratificações, como as GEMAS, e ao mesmo tempo, ofereça um ganho salarial real à categoria. Segundo a proposta atual, a tabela de remuneração ficaria congelada até o início de 2013. O vice-presidente do sindicato, Luiz Henrique Schuch, explicitou que tal proposta não cobre nem as perdas com inflação já ocorridas.

O Ministério do Planejamento afirmou ser preciso estudar a posição do ANDES, mas adiantou que está trabalhando em uma situação de severa restrição orçamentária, por conta da crise econômica internacional. Uma nova proposta deve ser apresentada pelo Governo na noite de amanhã, quando acontece uma nova negociação com o movimento docente. O Setor das Federais do ANDES realiza uma reunião para avaliar a proposta e organizar as mobilizações no próximo dia 20, em Brasília.

Adunifesp organiza mobilização em São Paulo

Além das assembleias que acontecem nos dias 17 (em São Paulo) e 18 (em Diadema e Santos), a Adunifesp prepara um dia de paralisação das atividades para o dia 24 de agosto, uma quarta-feira. A ideia – a ser discutida esta semana – é a realização de um ato na Avenida Paulista, reunindo os docentes, técnicos em educação e estudantes da Unifesp. A diretoria da entidade também dialoga com representantes de entidades da UFSCar, UFABC e do Instituto Federal de Educação de São Paulo, o antigo CEFET. Neste mesmo dia, o ANDES juntamente com diversas sindicatos dos servidores federais realizarão uma grande manifestação em Brasília reivindicando negociação efetiva do Governo Federal e a valorização salarial e das diversas carreiras do serviço público.

Confira o calendário de mobilizações:

17/08 – Assembleia dos Docentes de Guarulhos e São Paulo, às 12 horas
Local: Anfiteatro A, no campus da Vila Clementino

18/08 – Assembleia Comunitária da Baixada Santista, às 10h30
Local: Anfiteatro do Prédio da Ponta da Praia

18/08 – Assembleia Comunitária de Diadema, às 12h30
Local: Refeitório do Prédio José de Filippi (Eldorado)

24/08 – Dia de Paralisação e Ato Nacional em Brasília

Com informações do ANDES-SN (www.andes.org.br)

Univercine exibe filmes do diretor Wagner Morales e realiza bate-papo com cineasta

A sessão de agosto do Projeto Univercine exibe neste sábado (20), os documentários Na Lona, curta-metragem sobre o mundo do boxe amador, e Preto Contra Branco, média-metragem sobre uma partida de futebol de várzea que ocorre há mais de trinta anos na favela de Heliópolis. Após a projeção, o público terá a oportunidade de conversar com o diretor das obras Wagner Morales e com o jornalista Ivan Marsiglia, bacharel em Ciências Sociais e editor assistente do caderno Aliás do jornal O Estado de S. Paulo, responsável pelo argumento e roteiro do filme Preto Contra Branco. A mediação será do professor Mauro Rovai.

Desde 2010, uma parceria firmada entre a Unifesp e a Cinemateca realiza sessões educativas acadêmico-culturais voltadas para a formação de público e à discussão dos principais temas relativos às ciências humanas. A Cinemateca fica no Largo Senador Raul Cardoso, 207, entre a Avenida Sena Madureira e o Metrô Vila Mariana. Mais informações pelo telefone (11) 3512-6111 (ramal 215) ou pelo e-mail contato@cinemateca.org.br. A atividade é gratuita e a classificação indicativa desta sessão é 12 anos.

FICHAS TÉCNICAS E SINOPSES:
Na Lona, de Wagner Morales
São Paulo, 2002, 35mm, cor, 26’
Documentário sobre o mundo do boxe amador. Acompanhando o treinamento de dois lutadores novatos de São Paulo, que acabarão por se enfrentar no Campeonato Estadual, o filme expõe suas expectativas e sonhos e a dura realidade dos confrontos. Depoimentos de lutadores veteranos, anônimos e campeões mundiais traçam um retrato fiel desse esporte, ao mesmo tempo belo, cruel e violento.

Preto Contra Branco, de Wagner Morales
São Paulo, 2004, 35mm, cor, 54’
A partida de futebol “Preto Contra Branco” é um duelo varzeano que acontece há mais de 30 anos na periferia de São Paulo, opondo um time formado apenas por negros a outro formado apenas por brancos, em uma alegoria da diversidade racial do Brasil. Ambos os times reúnem moradores do bairro de São João Clímaco e da favela de Heliópolis, na zona sul da capital. Desconhecida de grande parte da população da cidade, esta tradicional disputa futebolística é o foco deste documentário. Com a participação e colaboração ativa do cantor Rappin’ Hood, a produção se concentra na semana de preparação para a partida e a toma como referência para discutir o preconceito racial no Brasil. Filme produzido no âmbito do programa DocTV, do Ministério da Cultura e da TV Cultura.