Arquivo diários:22 de junho de 2011

Servidores Técnicos iniciam paralisação na Unifesp

Os servidores técnicos em educação da Unifesp iniciaram uma greve nesta segunda-feira, 20 de junho. As paralisações já atingem pelo menos os campi de Guarulhos, Baixada Santista e São Paulo. A mobilização foi decidida em assembleias realizadas na semana passada e soma forças às paralisações de trabalhadores em outras 47 universidades federais, iniciadas a partir do último dia 06. Na pauta, a abertura de concursos públicos, a retirada no Congresso Nacional de medidas prejudiciais à educação e aos serviços públicos, e reivindicações salariais e de carreira.

A greve foi organizada pela Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra), após negociações com o Governo Federal nas quais o Executivo não apresentou nenhuma reposta às reivindicações dos servidores e nem mesmo cumpriu acordos salariais anteriores, firmados durante o governo Lula. Nos próximos dias o Comando Nacional da Greve deve se reunir com representantes dos Ministérios da Educação e do Planejamento na tentativa de reabrir as negociações.

Uma das principais reivindicações do movimento é a retirada da pauta do Congresso Nacional do Projeto de Lei 549/2009, que congela os salários dos servidores federais pelos próximos 10 anos. Outra questão central é a reabertura e ampliação de concursos públicos para sanar o atual déficit funcional. Desde o início do governo Dilma Rousseff novas contratações foram congeladas. Além disso, a Fasubra e demais sindicatos exigem o reposicionamento na carreira dos técnicos aposentados, prejudicados pela estrutura em vigor a partir de 2005.

Entre as reivindicações locais estão a redução da jornada de trabalho para 30 horas semanais com isonomia salarial, a ampliação do piso da categoria para três salários mínimos e o aumento do step entre os níveis da carreira para 5%. Atualmente o piso está abaixo dos dois mínimos e o step é de 3,2%. Os servidores ainda reivindicam uma série de melhorias na infraestrutura e nas condições de trabalho e a abertura de uma mesa de negociação com a Reitoria da Instituição. A Adunifesp aprovou nota de apoio aos servidores em sua reunião ordinária do último dia 20, publicada abaixo:

Nota da Adunifesp-SSind. em apoio à paralisação dos servidores técnicos da Unifesp

Na última segunda-feira, 20 de junho, os servidores técnicos em educação da Unifesp iniciaram um movimento de paralisação em consonância com uma greve nacional que já atinge quase cinquenta universidades federais. Entre as reivindicações, condições dignas de infraestrutura e trabalho, melhorias salariais e na carreira, abertura de concursos públicos com a ampliação do quadro funcional, e a derrubada de algumas iniciativas governamentais prejudiciais à universidade e aos serviços públicos. É importante destacar que entre tais medidas está o famigerado Projeto de Lei 549/2009, que congela os salários dos servidores federais pelos próximos 10 anos.

Em sua reunião ordinária realizada no mesmo dia 20, a Diretoria da Adunifesp-SSind. aprovou apoio às reivindicações e às mobilizações dos servidores técnicos de nossa Instituição. A greve ainda será pauta da Assembleia Geral dos Docentes que realizaremos no dia 01 de julho, uma sexta-feira. Esperamos sensibilidade das autoridades do governo e da universidade para que as negociações sejam abertas imediatamente e que a greve possa chegar ao fim com conquistas aos servidores federais.

Diretoria da Adunifesp-SSind. – Gestão 2011/2013

Docentes das Ifes aprovam paralisação dia 05 e construção de greve para agosto

Por Renata Maffezoli – ANDES-SN

Paralisar as atividades no dia 05 de julho e pautar a construção da greve dos docentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) para agosto de 2011. Estas foram as deliberações do encontro do setor das Ifes, realizado na sede do ANDES-SN, nos dias 17 e 18 de junho. A reunião contou com a participação de 37 professores, de 25 seções sindicais.

“Além de aderir à paralisação geral dos Servidores Públicos Federais (SPF) no dia 05 de julho, como parte da campanha conjunta, os professores decidiram por fazer desta data um Dia Nacional de Luta para a mobilização em prol da carreira docente”, comenta Sandra Bernadete Moreira, 1ª vice presidente da Regional Norte II.

Os representantes das Ifes indicaram também iniciar uma rodada de assembléias gerais nas seções sindicais para pautar a discussão de uma greve unificada dos docentes do setor para o segundo semestre de 2011.

Colégios de Aplicação

Manhã de sábado (18/6) foi reservada ao intenso debate da situação dos Colégios de Aplicação (CAp), conforme deliberado no último encontro do setor. Após uma revisão de toda a discussão em torno dos CAp, os professores deliberaram por atualizar o roteiro de questões enviado a estas instituições, com o finalidade de coletar material para a produção de uma matéria investigativa a cerca do tema.

Foi decidido ainda convidar um representante do Ministério da Educação (MEC) para a próxima reunião do setor das Ifes para um debate sobre a situação dos Colégios de Aplicação.

Greve da Fasubra

Os representantes do Setor das Ifes aprovaram ainda uma moção de apoio e solidariedade à paralisação dos técnico-administrativos das Universidades Federais, iniciada em 06 de junho. Até o momento, 47 universidades já aderiram à greve.