Arquivo diários:18 de março de 2009

Com nova Reitoria, Unifesp espera superar a crise

Com a posse do Reitor Prof. Dr. Walter Manna Albertoni, no dia 06 de março, espera-se que a longa crise atravessa pela Unifesp em 2008 se encerre. Essa parece ser uma expectativa geral da comunidade universitária, que lotou o Teatro Marcos Lindenberg na cerimônia de transmissão do cargo. O novo Reitor foi eleito com maioria de votos tanto na Consulta Prévia feita à comunidade, quanto na votação do Conselho Universitário (Consu). A reitoria foi temporariamente conduzida pelo Prof. Dr. Marcos Pacheco de Toledo Ferraz, após a renúncia do ex-reitor Ulysses Fagundes Neto no ano passado.

Apesar de ter transcorrido com tranqüilidade, o processo eleitoral sofreu críticas por ter sido mal conduzido. O Ministério da Educação (MEC) não aceitou a votação realizada pelo Consu realizada em dezembro, alegando que não teria seguido as normas corretas. Em função disso, em janeiro foi chamada uma reunião extraordinária às pressas do colegiado, época de grande esvaziamento da universidade, para se realizar uma nova votação. Isto fez com que grande parte da comunidade soubesse apenas pela imprensa ou sequer tomasse ciência do episódio. Após a segunda votação, o processo foi aceito, e o Ministro Fernando Haddad empossou pessoalmente o Prof. Albertoni, em um seminário promovido pelo MEC em São Paulo.

Passado o processo eleitoral, outro fato que gerou polêmica foi a indicação sem debate prévio no Consu dos novos Pró-Reitores. Alguns membros colocaram que estatutariamente, o órgão deveria ter recebido os nomes e os currículos dos indicados para debate e aprovação. Os novos dirigentes acabaram aprovados e houve o compromisso de que os currículos seriam encaminhados na seqüência. O fato de os Pró-Reitores serem todos ligados ao curso de medicina e de muitos deles terem feito parte da Reitoria anterior, responsável pela crise, também foi criticado.

Posse foi marcada por discurso progressista

A cerimônia de posse, marcada por grande presença da comunidade, foi iniciada relembrando a trajetória do Professor Albertoni na universidade desde o movimento estudantil nos anos 60. O novo Reitor iniciou o seu discurso comentando os episódios de 2008, “a Unifesp mostrou que é muito maior do que a crise pela qual passou”. Em seguida, colocou os pontos mais importantes de seu programa de gestão. Entre eles, a reforma do Estatuto, a luta pela federalização do Hospital São Paulo, transparência na relação da Unifesp com entidades privadas, assistência estudantil e defesa da autonomia da universidade. A expectativa é grande para que a instituição supere definitivamente a crise e para que tais propostas sejam cumpridas.

Confira o resultado da consulta prévia à comunidade sobre a eleição para Reitor no sítio da Unifesp: (www.unifesp.br/reitoria/eleicoes/reitor/2008/eleicao.htm).