Arquivo mensais:Março 2009

Eleição da nova Diretoria da Adunifesp acontece em maio

A atual Gestão da Adunifesp vai até junho. O edital de convocatória do processo eleitoral para a Gestão 2009-2011 será publicado no dia 30 de março. Entre os dias 13 e 25 de abril as chapas devem se inscrever para o pleito e, logo em seguida, será composta a comissão eleitoral, com um membro da diretoria, dois do Conselho de Representantes da Associação, e mais um de cada chapa concorrente. A votação acontece entre os dias 13 e 15 de maio. Participe e fortaleça a sua entidade.

Ricardo Smith é eleito Vice-Reitor

Logo após concluir a eleição do novo Reitor, a Unifesp iniciou outro pleito, agora para escolher seu Vice-Reitor. A consulta à comunidade, realizada no último dia 20, deu a vitória ao Prof. Ricardo Luiz Smith, e deve ser homologada pelo Conselho Universitário. Os outros candidatos inscritos foram os professores Paulo Augusto de Lima Pontes, Alba Lúcia Botura Leite de Barros e Brasília Maria Chiari. A Adunifesp realizou em conjunto com outras entidades um debate com a presença dos quatro candidatos. Entre os temas discutidos, a atual conjuntura da universidade, a interferência de organizações privadas na Unifesp e a insuficiência da política de assistência estudantil.

Conselho de Entidades alerta sobre violência contra estudante

Atos de violência têm acontecido com cada vez mais freqüência em nossa Instituição. As entidades representativas das categorias da Unifesp receberam perplexas um ofício de uma estudante de medicina, detalhando gravíssimo incidente ocorrido nas dependências da Associação Atlética. Clique em leia mais e acesse a nota do Conselho de Entidades sobre o episódio.

 

Nota de Alerta do Conselho de Entidades da Unifesp

As entidades das categorias da Unifesp receberam o ofício de uma estudante de medicina da Instituição detalhando gravíssimo incidente que teria ocorrido nas premissas da Atlética. Em reunião do Conselho de Entidades (CE) da Universidade, no dia 19/03/09, aprovou-se as medidas abaixo, relativas ao lamentável episódio:

1. Solicitar audiência ao Magnífico Reitor para que sejam tomadas providências para a imediata apuração de responsabilidades visando exemplar e rigorosa punição daqueles envolvidos. É preciso, na opinião do Conselho de Entidades, que cessem de uma vez por todas as cenas de barbárie e animalidade que têm se tornado quase que uma tradição a conspurcar o nome da Unifesp.

2. Solicitar a instalação de uma Comissão de Sindicância para esclarecer as condições de funcionamento da Atlética, onde uma série de incompreensões parece ocorrer transformando aquele espaço da UNIFESP em uma espécie de acampamento privado. De fato, é preciso urgentemente “socializar” aquela parte da Instituição, tornando-a acessível a todos os campi e setores da nossa universidade.

3. Solicitar aos membros das entidades deste conselho que participam da Comissão de Reforma do Estatuto da Unifesp, que esta inclua em caráter prioritário na sua agenda de atividades, os dois assuntos acima mencionados. Apela ainda o CE para que os mesmos sejam amplamente divulgados em nossa comunidade, ensejando a possibilidade de discussão em profundidade, com conseqüente solução satisfatória e definitiva.

São Paulo, 19 de março de 2009.

Conselho de Entidades da Unifesp (Adunifesp, APG, DCE, Sintunifesp)

Com nova Reitoria, Unifesp espera superar a crise

Com a posse do Reitor Prof. Dr. Walter Manna Albertoni, no dia 06 de março, espera-se que a longa crise atravessa pela Unifesp em 2008 se encerre. Essa parece ser uma expectativa geral da comunidade universitária, que lotou o Teatro Marcos Lindenberg na cerimônia de transmissão do cargo. O novo Reitor foi eleito com maioria de votos tanto na Consulta Prévia feita à comunidade, quanto na votação do Conselho Universitário (Consu). A reitoria foi temporariamente conduzida pelo Prof. Dr. Marcos Pacheco de Toledo Ferraz, após a renúncia do ex-reitor Ulysses Fagundes Neto no ano passado.

Apesar de ter transcorrido com tranqüilidade, o processo eleitoral sofreu críticas por ter sido mal conduzido. O Ministério da Educação (MEC) não aceitou a votação realizada pelo Consu realizada em dezembro, alegando que não teria seguido as normas corretas. Em função disso, em janeiro foi chamada uma reunião extraordinária às pressas do colegiado, época de grande esvaziamento da universidade, para se realizar uma nova votação. Isto fez com que grande parte da comunidade soubesse apenas pela imprensa ou sequer tomasse ciência do episódio. Após a segunda votação, o processo foi aceito, e o Ministro Fernando Haddad empossou pessoalmente o Prof. Albertoni, em um seminário promovido pelo MEC em São Paulo.

Passado o processo eleitoral, outro fato que gerou polêmica foi a indicação sem debate prévio no Consu dos novos Pró-Reitores. Alguns membros colocaram que estatutariamente, o órgão deveria ter recebido os nomes e os currículos dos indicados para debate e aprovação. Os novos dirigentes acabaram aprovados e houve o compromisso de que os currículos seriam encaminhados na seqüência. O fato de os Pró-Reitores serem todos ligados ao curso de medicina e de muitos deles terem feito parte da Reitoria anterior, responsável pela crise, também foi criticado.

Posse foi marcada por discurso progressista

A cerimônia de posse, marcada por grande presença da comunidade, foi iniciada relembrando a trajetória do Professor Albertoni na universidade desde o movimento estudantil nos anos 60. O novo Reitor iniciou o seu discurso comentando os episódios de 2008, “a Unifesp mostrou que é muito maior do que a crise pela qual passou”. Em seguida, colocou os pontos mais importantes de seu programa de gestão. Entre eles, a reforma do Estatuto, a luta pela federalização do Hospital São Paulo, transparência na relação da Unifesp com entidades privadas, assistência estudantil e defesa da autonomia da universidade. A expectativa é grande para que a instituição supere definitivamente a crise e para que tais propostas sejam cumpridas.

Confira o resultado da consulta prévia à comunidade sobre a eleição para Reitor no sítio da Unifesp: (www.unifesp.br/reitoria/eleicoes/reitor/2008/eleicao.htm).

“Movimento docente sai fortalecido do 28º Congresso do ANDES-SN”

Nesta entrevista, Ciro Correia, presidente do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN), avalia positivamente as deliberações do 28º Congresso da entidade, realizado em Pelotas de 10 a 16 de fevereiro. Ele destaca a luta contra o Reuni e a educação a distância, por um vencimento básico robusto e pelo fim das gratificações e das contratações precárias como os principais desafios para os docentes das universidades federais. (Por Najla Passos; Edição: Rodrigo Valente)

– Como você avalia os resultados do 28º Congresso?

– Minha avaliação é positiva. Tivemos 51 seções sindicais e 248 delegados de 24 estados. Conseguimos consolidar um Plano de Lutas que prevê uma atuação mais incisiva nas questões particulares ao movimento docente e da classe trabalhadora como um todo.

 

– Nesse contexto, o que você destacaria no Plano de Lutas específico para as IFES?

– O acompanhamento do Reuni. Esse é o principal programa do governo para as universidades federais. Sempre fomos contrários a essa iniciativa porque não consideramos correto que haja uma política de expansão irresponsável, sem os recursos necessários. Sabemos que a expansão é essencial ao país, mas também que tem que ser feita com financiamento adequado, para que o aumento no número de vagas não signifique aligeiramento de cursos nem diminuição de qualidade. A expansão adequada é a que permite à universidade trabalhar sempre na perspectiva do ensino ligado a pesquisa e extensão.

– A crítica à educação a distância também está contemplada no Plano de Lutas…

– Num país como o nosso, com sérias limitações de financiamento público, a educação a distância é propagada pelo governo como uma solução. Ora, não existe educação a distância. O processo educacional é interativo, presencial. Podemos, no máximo, falar de ensino a distância, porque ensino se refere a uma parte do processo educacional. E não será com ensino a distância que resolveremos os problemas do Brasil. Em outras sociedades que já resolveram parte ponderável de seus problemas na educação, o ensino a distância é apenas complementar. Nesse contexto, nosso Plano de Lutas prevê o acompanhamento também da implantação desse programa.

– Sobre a questão salarial dos docentes das IFES, como se dará a luta do ANDES-SN?

– Continuaremos lutando por condições de trabalho que sejam compatíveis com o ambiente universitário, que devem ser implementadas por meio de valorização da carreira. Continuaremos pressionando pela anulação dessa política absurda de contratar professores substitutos e de trocar salário por gratificações. É preciso denunciar que a planilha de salários que o governo impôs para o funcionalismo em 2009 não compensa perdas salariais anteriores, nem deverá compensar sequer a inflação projetada até 2010. Essas planilhas desconstroem as carreiras e continuam tratando o vencimento básico apenas como uma pequena parcela dentro de uma remuneração mensal que contempla uma série de gratificações. Essa situação só gera
injustiça, instabilidade e uma quebra de isonomia com os aposentados. Sempre
lutamos contra isso. Acredito que com o Plano de Lutas aprovado no Congresso aumentaremos as possibilidades de mudarmos esse quadro.

Docentes devem ficar atentos ao golpe do telegrama

Caso tenha chegado correspondência para receber dinheiro da Previdência, entre em contato com a Adunifesp. Clique em leia mais para saber detalhes do caso.

Nos últimos dias, dezenas de associados procuraram a Adunifesp para tirar dúvidas sobre um telegrama recebido, cujo remetente seria um suposto escritório de advocacia. Segundo a correspondência, os servidores teriam valores a receber de Processos da Previdência e deveriam ligar para alguns telefones indicados, em um suposto escritório na Av. Ipiranga.

Entramos em contato com a nossa Assessoria Jurídica e eles nos confirmaram que se trata de um golpe. Quando a pessoa telefona para o referido número é informada de que tem dinheiro a receber da Previdência, mas que para tanto deverá pagar 10% (dez por cento) deste valor antecipadamente. Com isso, o golpe fica claro, pois se alguém tem algum valor a receber não há razão para que faça qualquer pagamento adiantado. Neste caso, bastaria que o valor a ser pago fosse descontado do montante que teria a receber.

Diretoria da Adunifesp

Novidades na Comunicação da Adunifesp

É com satisfação que inauguramos uma nova etapa na política de comunicação de nossa Associação Docente. Este exemplar é o primeiro de uma série de periódicos da Adunifesp, que pretendemos produzir com regularidade. Queremos assim, aproximar cada vez mais a nossa entidade de seus associados e participar efetivamente dos mais importantes debates de nossa universidade.

Através deste instrumento, debateremos os desafios da educação superior brasileira, do movimento docente e as principais pautas da sociedade. Internamente a Unifesp, queremos participar de todas as grandes discussões. O processo de expansão dos últimos anos, a complicada relação entre o público e o privado na instituição, a federalização do Hospital São Paulo, os cursos pagos, a grave crise pela qual a universidade passou em 2008, entre tantas outras pautas.

Particularmente, queremos aproximar cada vez mais a Adunifesp dos docentes da universidade, especialmente daqueles que ainda não são associados à entidade. Com a rápida expansão pela qual passa a Unifesp, tal fenômeno está acontecendo com muitos dos professores nos novos campi. Através da nossa política de comunicação vamos nos fazer mais presentes, fortalecer a organização da categoria e inserir a associação ainda mais nas lutas em defesa da universidade e por uma sociedade justa, solidária e democrática.

Para isto, convidamos toda a comunidade – professores, servidores e estudantes – para nos ajudar na construção deste instrumento de debate democrático na Unifesp. Programamos também para o próximo período a reformulação de nosso sítio (www.adunifesp.org.br) e a criação de uma versão eletrônica para o nosso boletim. Contribuições, críticas e sugestões são muito bem-vindas.