Moção em apoio à Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e em repúdio às declarações do Ministro Luís Roberto Barroso do Supremo Tribunal Federal

Os docentes da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) reunidos em assembleia no dia 16 de janeiro de 2017 vem a público declarar apoio à Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) que encontra-se paralisada pela falta de pagamento de seu custeio e dos salários de seus servidores, revelando o aprofundamento da crise orçamentária do ensino superior público, agravada pela falência do estado do Rio de Janeiro. A UERJ sofre um processo de sucateamento progressivo por conta da crise de financiamento que atinge as demais universidades públicas e inicia o ano de 2017 fechada pois acumula dívida superior à R$350 milhões, sem verba para pagamento de bolsas, salários e até mesmo limpeza e segurança.

Nesta conjuntura o Ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso defendeu publicamente o modelo de financiamento privado para as Universidades Públicas brasileiras utilizando como principal exemplo a crise da UERJ. Declaração que deve ser combatida e repudiada pois entrega o ensino superior aos interesses de mercado, sem qualquer compromisso com a qualidade do ensino ou mesmo condições dignas de trabalho para os servidores.

Docentes da Unifesp reunidos em Assembleia no dia 16/01/17

16/01/17 – Assembleia Geral Extraordinária dos Docentes da Unifesp

ag-docente-16-01-pagina001

Prezados docentes,

A Diretoria da Adunifesp-Ssind convoca a categoria para a Assembleia Geral Extraordinária dos Docentes da Unifesp que será realizada em 16 de janeiro de 2017, às 11h30 no Anfiteatro Nylceo Marques de Castro, Anf. C –  Rua Botucatu 740 subsolo, com a seguinte pauta única:

  • Eleição de delegados para o Congresso do ANDES-SN.

Saudações Sindicais,

Adunifesp-SSind

Desmonte social no “novo regime fiscal”: os malefícios da PEC que limita o gasto público

Nesta terça-feira, dia 29 de novembro, foi realizado no campus São Paulo um debate sobre a PEC 55 como parte das atividades do calendário de paralisação com mobilização nos campi na Unifesp: ocupar a universidade com reflexão crítica contra a PEC 55, com ampla participação da comunidade universitária.

Continue lendo Desmonte social no “novo regime fiscal”: os malefícios da PEC que limita o gasto público

Somente as assembleias conferem legitimidade às decisões coletivas

O período turbulento atual, com os ataques estratégicos e sistemáticos do governo golpista contra a educação nacional, a pesquisa e o desenvolvimento científico, bem como às carreiras dos servidores públicos de todos os níveis, traz a reboque um espírito autoritário que coloca em seu repertório práticas de deslegitimar os foros coletivos de debate e deliberação. Nesse sentido, a Associação dos Docentes da Universidade Federal de São Paulo – Seção Sindical do Andes Nacional, torna pública a seguinte moção:

Continue lendo Somente as assembleias conferem legitimidade às decisões coletivas

29/11 – Aula pública e Debate sobre a PEC 55 (campus Diadema)

atividades_paralisacao_diadema

Conforme encaminhamento da Assembleia Geral dos Docentes da Unifesp em 21/11, como parte do dia de paralisação com mobilização nos campi: ocupar a universidade com reflexão crítica, convidamos a todos, no dia 29/11, para a aula pública “A nova gestão pública e a PEC 55” com prof. Sérgio Stoco em dois períodos – 14h-17h e 19h-23h – nas casas de madeira do complexo didático no campus Diadema. E para o debate sobre a PEC 55 “A crise econômica, as repercussões no SUS e nas universidade públicas” com prof. Sérgio Stoco, prof. Marcelo Carvalho, profª. Virgínia Junqueira e profª, Eliane de Souza a partir das 17h30 no complexo didático do campus Diadema. A educação e saúde públicas estão sob séria ameaça! Participe!

Adunifesp-SSind